domingo, 15 de julho de 2018

Futebol local

Dirigente é detido acusado de ofensa racista ao árbitro

14 NOV 2010Por Jakson Pereira05h:27

Durante o intervalo do jogo entre Campo Grande e Maracaju, disputado na tarde de ontem no Estádio Olho do Furacão, o presidente do time da Capital, Edilson Lima, foi detido sob a acusação de racismo ao árbitro Marcos Matheus Pereira e ao auxiliar Valdir Pereira Júnior.

De acordo com o árbitro, em determinado lance da etapa inicial, o dirigente o chamou de “macaco”, fato negado por Edilson. “Pode me chamar de qualquer coisa, xingar, mas não venha com ofensa racista”, comentou Marcos Matheus.

Após o intervalo, o jogo seguiu normalmente. Enquanto o árbitro apitou a partida, o dirigente ficou junto aos policiais esperando o fim do jogo, quando Marcos Matheus se dirigiu à delegacia para registrar o boletim de ocorrência contra Edilson Lima.

Atualmente, Marcos Matheus é o principal árbitro do Estado, tendo apitado nesta temporada três partidas da Série B, uma da Série C e três da Série D. (JP)

Leia Também