Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

Abuso sexual

Diretor-gerente do FMI dirá ser inocente

15 MAI 2011Por Reuters15h:41

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, vai se declarar inocente da acusação de abuso sexual a uma camareira de um hotel em Nova York, disse seu advogado, Benjamin Brafman, em um e-mail à Reuters.

Promotores da cidade de Nova York acusaram a autoridade máxima do FMI de crime sexual por um suposto ataque contra uma camareira, informou a polícia.

O chefe do FMI e possível candidato à presidência da França foi detido no sábado no aeroporto internacional John F. Kennedy de Nova York, quando já estava dentro de um avião que levantaria voo com destino à Paris, segundo a polícia. Agentes à paisana abordaram o avião da linha aérea Air France, com destino Paris, às 16h45 (17h45 de Brasília) apenas dez minutos antes da decolagem.

Uma camareira de 32 anos deu queixa por abuso sexual contra Strauss-Kahn pelo suposto incidente ocorrido no hotel Sofitel na Times Square.

Strauss-Kahn, um dos responsáveis em dar resposta à crise financeira e global de 2007 a 2009 e à crise soberana na Europa, teria deixado o hotel Sofitel logo após o incidente.

Strauss-Kahn recebeu neste sábado a visita de um diplomata francês para "proteção consular", informou neste domingo o Ministério das Relações Exteriores da França. Um porta-voz ministerial indicou à Agência EFE que o cônsul-geral em Nova York, Philippe Lalliot, visitou o economista preso na noite deste sábado.

Segundo o porta-voz, a embaixada francesa nos EUA e o consulado "estão mobilizados" para o assunto e "em estreito contato com o FMI e as autoridades americanas".

Strauss-Kahn, de 62 anos, considerado o principal nome do Partido Socialista francês para as eleições presidenciais de 2012 contra o atual presidente francês, Nicolas Sarkozy, já foi indiciado por tentativa de estupro, ato sexual criminoso e retenção ilegal.

Em nota, a jornalista Anne Sinclair, mulher de Strauss-Kahn, afirmou neste domingo não acreditar "nem um só segundo" nas acusações feitas contra seu marido. Anne Sinclair destacou em uma breve nota emitida à imprensa francesa ter certeza de que "sua inocência será confirmada" e pediu "decência e discrição" sobre o assunto.

O americano John Lipsky já assumiu como diretor-gerente interino do FMI.

Caminho livre para Sarkozy

Na visão de analistas políticos, a prisão de Dominique Strauss-Kahn provavelmente enterrará suas pretensões de disputar a presidência da França pelo partido Socialista, em 2012, tirando do caminho do presidente francês, Nicolas Sarkozy, o único rival que poderia ter força para derrotá-lo.

"É uma reviravolta na política francesa e internacional. Strauss-Kahn era o favorito nas sondagens, favorito dos socialistas. Evidentemente, devemos ter a presunção de sua inocência até que ele seja julgado pela justiça americana. Mas podemos pensar que sua carreira vai acabar bem mais cedo do que se imaginava. A primeira consequência é de que provavelmente ele não poderá concorrer pelo partido socialista", avaliou o editor-chefe de Política do jornal francês "Le Fígaro" no site do jornal.

Em uma das pesquisas mais recentes feitas na França sobre as eleições de 2012 pelo instituto LH2, Strauss-Kahn aparecia com 23% das intenções de voto; seguido por Marine Le Pen, da extrema direita, com 17% e Sarkozy, com 16%.

Se vencesse no ano que vem, Strauss-Kahn seria o primeiro socialista a ocupar a presidência desde que François Mitterand ganhou as eleições em 1981. Era esperado que ele anunciasse oficialmente sua intenção de entrar na disputa como o candidato socialista até o final de junho.

Dias antes da prisão, DSK já estava em saia justa por ter sido fotografado entrando em um Porsche avaliado em cerca de € 100 mil. Mesmo o carro não sendo dele, do "Porschegate" nasceram várias piadas no meio político e alguns brincavam inclusive dizendo que o caso deixou Sarkozy com dor de cabeça, mas por causa da ressaca de tanto beber champanhe, celebrando o passo em falso dado por seu então provável oponente em 2012.

Leia Também