Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

ORÇAMENTO

Dilma reage às críticas recebidas aos cortes

2 MAR 11 - 00h:00ESTADÃO

A presidente Dilma Rousseff reagiu ontem, em Salvador, às críticas recebidas ao corte de R$ 50 bilhões no Orçamento e disse que fará de tudo para manter a inflação sob controle e acelerar o crescimento econômico. "Nós não teremos contemplação com a inflação", insistiu ela. "A inflação é como um câncer, que corrói o tecido econômico e social", acrescentou.

Ao participar da cerimônia de anúncio do Terminal de Regaseificação da Bahia, obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que terá recursos de US$ 706 milhões, Dilma disse não ver contradição entre os investimentos programados e a tesourada nos gastos. A uma plateia composta por empresários e políticos, ela lembrou que, naquinta-feira, anunciará até mesmo a prorrogação do Programa de Sustentação do Investimento.

"Não é contradição com o nosso corte de despesas. Nós estamos cortando o custeio administrativo, não estamos cortando os investimentos", afirmou a presidente. Em nenhum momento de seu discurso Dilma mencionou o programa Minha Casa, Minha Vida, que sofreu corte de R$ 5,1 bilhões.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Para beneficiados, pagamento do FGTS é complemento na renda mensal
Saque do FGTS

Para beneficiados, pagamento do FGTS é complemento na renda mensal

'Síndrome do idoso' frágil é uma das doenças alegadas pela defesa para tirar Name de presídio
MILÍCIA NA CADEIA

'Síndrome do idoso' frágil é uma das doenças alegadas para tirar Name de presídio

Juiz é alvo de operação do Gaeco contra venda de sentença
CORRUPÇÃO

Juiz é alvo de operação do Gaeco contra venda de sentença

Empresa recorre de licitação e Corredor Sudoeste vai atrasar mais
CAMPO GRANDE

Empresa recorre de licitação e Corredor Sudoeste vai atrasar mais

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião