Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

PRESIDENTA

Dilma mostra suas diretrizes no site do Planalto

1 JAN 2011Por BLOG DO FERNANDO RODRIGUES UOL12h:29

O site do Palácio do Planalto amanheceu de cara nova hoje, dia 1º de janeiro de 2011, já apresentando Dilma Rousseff como “presidenta”. Na parte de cima é possível encontrar o link para “Diretrizes de Governo”, basicamente o plataforma da campanha da petista em 2010.

São 13 pontos, cujo primeiro fala em “expandir e fortalecer a democracia política, econômica e socialmente”. Dilma promete a “continuidade da reforma do Estado”, “preservação da autonomia dos poderes constituídos” e “irrestrita liberdade de imprensa e de expressão da liberdade religiosa”.

O item 5 trata de “erradicar a pobreza absoluta e prosseguir reduzindo as desigualdades”. Esse deve um dos pontos centrais do discurso de Dilma em seu mandato.

No item 7, a nova presidente fala sobre “garantir educação para igualdade social, a cidadania e o desenvolvimento”. Desce a detalhes dizendo que “o governo cuidará da pré-escola à pós-graduação, disponibilizando mais verba para estimular pesquisas e fortalecer o ensino superior”. Promete que o “projeto de construção das Instituições Federais de Educação Tecnológica (Ifet) será ampliado e as cidades pólo com mais de 50 mil habitantes terão, pelo menos, uma escola técnica”.

Outra promessa específica: “O governo federal assumirá a responsabilidade da criação de 6 mil creches e pré-escolas e 10 mil quadras esportivas cobertas”.

Um casamento a menos

Há uma curiosidade na biografia oficial de Dilma Rousseff no site do Palácio do Planalto. Quando trata dos casamentos da presidente, o texto menciona apenas que “em 1969, conhece o advogado e militante gaúcho Carlos Franklin Paixão de Araújo. Casam-se e juntos sofrem com a perseguição da Justiça Militar”.

 

Ocorre que Carlos Araújo foi o segundo marido de Dilma (divorciaram-se em 1994, depois de 25 anos juntos). Mas antes ela havia casado em setembro de 1967 com o jornalista Cláudio Galeno de Magalhães Linhares. A união durou só dois anos e não constada biografia oficial da nova presidente no site do Planalto.

Leia Também