Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

Histórico

Dilma é tema de provas de história e redação

28 MAI 2011Por TERRA18h:25

Primeira mulher a ocupar a presidência da República no Brasil, Dilma Rousseff pode sair das páginas dos jornais para as provas de vestibular neste ano. Provas de Geografia, História e até a redação podem abordar a questão dos direitos da mulher, da participação de Dilma como militante contra a ditadura militar e até com projetos do governo. Portanto, fique atento.

Professor de Geografia do curso pré-vestibular da Poli, em São Paulo, André Luis Guibur diz que podem aparecer na prova aspectos relacionados a projetos de governo. "A continuidade de algumas propostas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e a erradicação da pobreza, podem ser abordados", afirma. Respostas sobre mudanças na autonomia do Banco Central em relação ao governo e nas relações exteriores em países como o Irã também podem ser pedidas pela banca.

O professor de História do pré-vestibular da Poli Fernando Rodrigues Silva acredita que, por Dilma ter chegado ao poder, pode ser feita uma comparação entre o período colonial e a época atual, onde as mulheres seguem com algumas dificuldades, como inserção no mercado de trabalho e em cargos de chefia. Silva também levantou a hipótese de aparecerem questões ligadas à militância política da presidente no período militar. "Nos anos 60 e 70 ela era uma militante, portanto pode ser feita uma relação com o período da ditadura militar no Brasil."

Na redação, o tema deve ser a questão da mulher na sociedade brasileira. Segundo Ricardo Russo, professor do pré-vestibular Objetivo, em Florianópolis, um dos pontos que podem ser abordados na redação é como a primeira presidente mulher do país pode contribuir para melhorar a questão feminina na sociedade brasileira. Também podem surgir temas que falem sobre a participação dela na guerrilha à época da ditadura, e como as liberdades democráticas, a diversidade de opiniões e a convivência organizada da sociedade podem contribuir para o progresso do Brasil.
 

Leia Também