Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sábado, 16 de fevereiro de 2019 - 15h35min

Dilma confirma chapa com PMDB e elogia Michel Temer

6 ABR 10 - 21h:37

São Paulo

 

A ex-ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT à sucessão no Palácio do Planalto, confirmou ontem o posto de vice para o PMDB na chapa encabeçada pelo PT à Presidência da República e elogiou a provável indicação do deputado federal Michel Temer (PMDB-SP) para a composição da dobradinha. Em entrevista concedida ao "Jornal da Manhã", da Rádio Jovem Pan, a presidenciável indicou, no entanto, a necessidade de diálogo com o PT para a definição do nome do vice, que será escolhido oficialmente na Convenção Nacional do PMDB, em junho.

"A escolha do vice deve ser uma questão em que o partido que comporá a chapa majoritária conosco, que é o PMDB, tenha uma participação muito importante", afirmou a ministra. "Será o candidato que o PMDB indicar e que o PT considere que seja o mais indicado. É natural que haja um processo de diálogo entre os dois partidos e nem acredito que o PMDB não o faça", acrescentou a ministra. A petista citou o nome de Temer para a disputa, segundo ela "um paulista respeitado". "Até agora o nome cogitado tem sido o do deputado Temer, que, sem sombra de dúvida, tem todas as qualificações para pleitear o posto", afirmou.

Dilma foi perguntada sobre a crítica ao pré-candidato do PSDB, o ex-governador José Serra, feita em entrevista publicada ontem pelo jornal "O Estado de S.Paulo". No jornal, a petista acusou o tucano, enquanto ministro do Planejamento (1995-1996), de ter "gestado" o apagão. Em resposta à rádio, Dilma ponderou a afirmação. De acordo com ela, a responsabilidade pelo racionamento de energia não foi apenas de Serra, mas de todos os ministérios da gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

"O racionamento de oito meses ocorreu. A questão é: como um racionamento acontece? Não acontece de um dia para o outro, acontece porque não se planeja", reafirmou a ex-ministra. "Os responsáveis foram todos os ministérios ligados à área. A questão de planejar era um ponto fora da curva de qualquer governo. Então, houve uma falha de oito meses. Os responsáveis são vários, o governo inteiro."

Questionada, Dilma confirmou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá espaço em seu eventual governo, dando-lhe conselhos quando for necessário. "Eu tenho uma relação além de política com o presidente. Tenho um sentimento muito forte de respeito", disse a ex-ministra. "Tenho em Lula uma pessoa de que sempre escutarei a opinião. Eu não serei a única a consultá-lo em um governo, outros líderes também o consultarão. Nós compartilhamos do mesmo projeto de Brasil".

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Familiares de mulher que teve o corpo furtado realizam terceiro sepultamento com medidas de seguranç
FIM DA ANGÚSTIA

Familiares de mulher que teve o corpo furtado realizam terceiro sepultamento

MEIO AMBIENTE

Ministro contraria Ibama e diz que plantação em área indígena não é ilegal

Ambulância é arrombada e furtada  em pátio da Central de Regulação
CAMPO GRANDE

Ambulância é furtada em pátio da Central de Regulação

Goleiro Jefferson afirma não ter sido chamado para seleção por racismo
FUTEBOL

Goleiro Jefferson afirma não ter sido chamado para seleção por racismo

Mais Lidas