Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

medicamentos

Diferença de preço entre genérico e de referência chega a até 414,7%

20 DEZ 2010Por ADRIANA MOLINA01h:20

Em Campo Grande, a diferença de preços entre medicamentos genéricos e de referência (marca) chega a 414,7%. O percentual pode ser verificado entre o Ácido Acetilsalicílico e o AAS infantil, com 10 comprimidos, que custam R$ 0,68 e R$ 3,50, respectivamente, segundo pesquisa feita pelo Correio do Estado.

Os preços entre os dois tipos de medicamentos também têm diferenças significativas em outros remédios considerados básicos, de alto consumo. O genérico Amoxicilina e o referência Amoxil, de 500 mg, variam 292,8% nas principais farmácias da Capital, com preços de R$ 12,37 e R$ 48,59.

Dipirona sódica e Novalgina têm 268,31% de variação, custando R$ 3,63 e R$ 13,37, respectivamente. Os medicamentos para controle da pressão arterial Captopril (R$13,10) e Capoten (R$ 43,22), ambos de mesmo princípio ativo, apresentam diferença de 229,92%.

Os valores apresentam grande divergência porque o medicamento genérico não tem custos de pesquisa como os de referência, que criam as fórmulas. Os genéricos usam fórmulas de referências já prontas, aprovadas, segundo o Conselho Regional de Farmácia.

Para o coordenador da Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul (Procon-MS), Alexandre Rezende, é preciso não apenas pesquisar preços para economizar, mas buscar o que é melhor para a saúde. “O paciente deve conversar com seu médico para avaliar a possibilidade do uso do genérico. Verificar se ele indica, pois é um remédio mais barato mas que muitos ainda têm receio de comprar”, aconselha.

Os genéricos foram criados pela Lei nº 9.787/99. Eles são similares aos remédios de marca, com a mesma concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação terapêutica; porém, com a indicação de seu princípio ativo em substituição ao nome comercial. (AM)

Leia Também