segunda, 16 de julho de 2018

Argentina

Diego Maradona ataca dirigentes do futebol argentino

22 DEZ 2010Por Buenos Aires, Argentina03h:35

O sentimento de raiva de Diego Armando Maradona em relação à seleção argentina ainda não faz parte do passado. Em uma entrevista concedida ao jornal argentino Clarín, o ex-técnico da seleção atacou o presidente da AFA (Associação de Futebol Argentino), Julio Grondona, e o diretor das seleções nacionais, Carlos Bilardo, chamando-os de “gagá” e “cagão”, respectivamente.

“(Grondona) É uma estátua, que não soma nada, não conhece ninguém e não é representativo. As crianças não o entendem e os adultos cada vez o entendem menos. Ele deveria se afastar. Está gagá e tem que ir até três vezes por ano a uma clínica de saúde e reabilitação”, afirmou o grande ídolo do futebol argentino.

“Bilardo é um cagão. Sempre disse que ia me bancar, que teria as portas sempre abertas e, na primeira mudança, me deixou. E o pior é que, quando acabou a partida com a Alemanha, disse diante de todos os meninos que respeitava a toda a comissão técnica”, lamentou “D10”.

O ex-técnico também aproveitou para elogiar muito Lionel Messi. “Ele só não fez gols, pois todos seus chutes foram defendidos pelos goleiros ou pegaram na trave, mas ele fez uma Copa do Mundo fantástica”, analisou.

Apesar de ainda reclamar até mesmo de Sergio Batista, que acabou substituindo-o após a demissão com a eliminação da Copa do Mundo, Maradona garantiu que ainda terá mais chances.

“Eu sei que um dia vou voltar. O Bilardo e o Grondona não ficarão para sempre em seus cargos”, prometeu.

Leia Também