Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COMEMORAÇÃO

Dia dos Pais deve movimentar mais de R$ 143 milhões no Estado

Dia dos Pais deve movimentar mais de R$ 143 milhões no Estado
01/08/2012 15:45 - DA REDAÇÃO


O comércio varejista de Mato Grosso do Sul irá receber cerca de R$ 143 milhões referentes à comemoração do Dia dos Pais. O valor é 36% mais alto do registrado no ano passado, quando a pesquisa do Instituto de Pesquisa Fecomércio – em parceria com a Universidade Anhanguera-Uniderp e Fundação Manoel de Barros, detectou que seriam injetados cerca de R$ 105 milhões.

A sondagem foi realizada em onze municípios do Estado (Aquidauana, Anastácio, Campo Grande, Corumbá, Dourados, Ladário, Naviraí, Paranaíba, Ponta Porã, São Gabriel do Oeste e Três Lagoas ), nos dias 17 a 20 de julho.

Para o presidente do Sistema Fecomércio MS, Edison Araújo, o aumento da intenção de compras pode ser entendido pelo número de pessoas empregadas e, consequentemente, da renda familiar, além da percepção da estabilidade da economia brasileira.

Presentes

De acordo com mais de 60% dos entrevistados, a quantidade de presentes é de até dois, sendo homenageados os pais (63%), o esposo (16%), o sogro (10%) e o namorado (3%). O valor médio, de cada presente, no Estado, é de R$ 115, sendo que, em São Gabriel do Oeste, os consumidores devem comprar presentes no valor – também médio – de R$ 167, seguido de R$ 136 em Corumbá e Ladário, R$ 122 em Naviraí, de R$ 111 em Campo Grande e de R$ 102 em Dourados.

Entre os presentes citados na pesquisa, roupas e perfumes são, respectivamente, a preferência de 20% e 12% dos entrevistados. Na sequência, foram citados: carteiras (11%), relógio (6,8%) e cintos (5,8%).

Felpuda


Pré-candidato pode estar sendo “fritado” sem ao menos perceber. Redes sociais que têm estreitas ligações com ex-cabecinhas coroadas e que prometeram apoio estão enaltecendo que só certo pré-candidato de outro partido. Quem conhece as ditas figurinhas de, digamos, outros carnavais, acredita que está em curso operação sorrateira para mudar internamente os rumos da futura campanha. Trocando em miúdo: ceder a cabeça de chapa.