Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

CAPITAL

Dia de Combate à exploração infantil é marcado por mobilizações

18 MAI 2011Por Gabriel Maymone11h:55

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes é comemorado com campanhas e mobilizações de conscientização pela cidade.

Um grupo de 21 alunos do Instituto Mirim esteve hoje pela manhã no terminal rodoviário de Campo Grande com o objetivo de sensibilizar e orientar a população. Eles ficaram das 8h até as 9h30min entregando panfletos e orientando as pessoas sobre como fazer a denúncia, quais os órgãos responsáveis e como perceber se uma criança está sofrendo algum tipo de abuso.

Outra informação importante que os alunos passaram para a população foi a diferença entre abuso e exploração sexual. A primeira é quando um adulto utiliza o corpo de uma criança para praticar um ato sexual e a segunda é quando uma criança é explorada sexualmente com a intenção de se obter lucro.

A psicóloga Soraya Cristine Vale de Lima acompanhou o trabalho dos alunos, “Eles foram treinados para abordar as pessoas cordialmente e falar sobre o assunto”, completa.
Desde a semana passada os adolescentes de 15 anos estão discutindo sobre o assunto. “Semana passada houve uma discussão sobre a importância do dia 18, eles assistiram um documentário (Que exploração é essa) e fizeram trabalhos educativos sobre a questão”, finaliza a psicóloga.

A partir das 10h30min, representantes do Comitê de Enfrentamento da Violência e de Defesa dos Direitos Sexuais de Crianças e Adolescentes (Comcex-MS) realizaram panfletagem na avenida Afonso Pena, em frente ao colégio Joaquim Murtinho.

Segundo a Coordenadora do Comcex, Tânia Comerlato, a intenção é sensibilizar as pessoas e principalmente orientá-las a denunciar, “Muitos casos ficam invisíveis, pois muitas pessoas tem medo de fazer a denúncia”, explica Tânia, que diz ainda que a denúncia é anônima e deve ser feita para combater este tipo de violência.
“A função do comitê é cobrar as autoridades, quando chega um caso nós repassamos ao conselho tutelar e cobramos uma atuação do poder público”, finaliza a coordenadora.

Casos

O disque denúncia registrou 97 casos este ano no Estado, número considerado baixo pelo comitê, que revela que o medo é o principal fator pelo baixo índice de denúncias. De 2003 até 2011 o volume de casos relatados através do disque 100 foi de 1564 casos, lembrando que esta não é o único caminho e que órgãos como o conselho tutelar e a polícia militar e federal também recebem denúncias.

Mobilização

Além das duas mobilizações realizadas hoje pela manhã, o Comcex também promove panfletagem no aeroporto, na feira central (a noite) e haverá projeção de filmes educativos e palestras na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

Como Denunciar

A denúncia pode ser feita no Conselho Tutelar, Comcex-MS, Polícia Militar e Federal ou através dos disques denúncias: 100 ou em caso de emergência o 190. 

Leia Também