quinta, 19 de julho de 2018

ELEIÇÕES 2010

Deputados estaduais gastaram, para se eleger, R$ 25 por voto

6 NOV 2010Por Fernanda Brigatti00h:00

A eleição dos 24 deputados estaduais que iniciam mandato no próximo ano custou, em média, R$ 25 por voto. Para conseguir os 709.176 votos que os elegeram, o parlamentares investiram R$ 17,8 milhões. No âmbito federal, os representantes de Mato Grosso do Sul na Câmara dos Deputados gastaram quase o dobro da média nacional para serem eleitos.

Os oito deputados federais da bancada sul-mato-grossense gastaram, juntos, R$ 13,1 milhões em suas campanhas e somaram 747.035 votos. A média nacional é de R$ 9,68 por voto, de acordo com levantamento feito pela Folha Online. No Estado, no entanto, os parlamentares gastaram R$ 17 por voto.

O campeão de gastos na disputa pela Assembleia Legislativa foi Felipe Orro (PDT), que arrecadou e gastou R$ 1,3 milhão. Ele também teve o voto mais caro: R$ 54,3 por cada um dos 25.703 votos. O ex-vice-governador George Takimoto (PSL) teve a campanha mais modesta, entre os eleitos e, com isso, também o menor custo por voto, R$ 6,7. Ele foi escolhido por 23.646 eleitores.

O parlamentar campeão de votos, Marquinhos Trad (PMDB), com 56.287, gastou R$ 989,2 mil na campanha e investiu R$ 17,5 por cada voto.

Na disputa federal, o deputado estadual Reinaldo Azambuja (PSDB) foi quem mais gastou por voto recebido. Ele desembolsou R$ 25 por cada um dos 122.213 que recebeu. Depois dele, também pagaram alto o líder de votos Edson Giroto (PR), que pagou R$ 20,5, e Vander Loubet (PT), com R$ 23,2.

Quem menos gastou por voto foi o ex-presidente da seccional Mato Grosso do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Fábio Trad (PMDB). Cada um dos 82.121 votos que teve custou R$ 7 ao advogado. Logo depois dele está o deputado federal reeleito Geraldo Resende (PMDB), com R$ 9 por voto. Ele declarou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que gastou R$ 712,1 mil na campanha deste ano.

Leia Também