Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

domingo, 17 de fevereiro de 2019 - 13h04min

Deputados depõem na ação contra Rigo e Onevan

27 FEV 10 - 05h:02
A defesa dos deputados estaduais Ary Rigo e Onevan de Matos, que correm o risco de perder o mandato por trocar o PDT pelo PSDB, alegou ontem ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que atitudes do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) os forçaram a deixar o partido. Em contrapartida, Dagoberto acusou os ex-correligionários de seguir ordem do governador André Puccinelli (PMDB) para sair da legenda. O deputado estadual Youssiff Domingos (PMDB), por exemplo, testemunhou a favor de Rigo e Onevan e engrossou a teoria da defesa. Para ele, Dagoberto tinha dois propósitos: se tornar presidente regional do PDT e fechar a aliança com o PT em troca da vaga de candidato ao Senado. “Na disputa com Rigo pelo diretório regional, ele (Dagoberto) se sentia inferior, por isso, apelou à direção nacional, que acabou destituindo o Rigo”, disse. No caso da sucessão estadual, Youssiff acredita que o deputado federal percebeu que, se R igo continuasse como presidente regional, o PDT poderia marchar com Puccinelli, levando em conta a aliança da bancada estadual do partido com o governador na Assembleia Legislativa. “Mas o projeto político do Dagoberto era ficar com o PT”, destacou. Diante das diferenças, a defesa de Rigo e Onevan alegou a perseguição do deputado federal aos ex-correligionários para atender seus interesses políticos. “Além disso, o João Leite Schimidt (interventor do PDT do Estado) disse publicamente que os deputados não teriam garantia de ter legenda para concorrer à reeleição”, finalizou Youssif. O outro lado Já para Dagoberto, a troca do PDT pelo PSDB foi motivada por interesses pessoais dos deputados e para atender a ordem do governador André Puccinelli. “Vamos mostrar que para eles só servia se fosse para ficar com o André, independentemente do interesse do partido, desde que ficasse atendendo os interesses individuais deles e do governador”, declarou. Convicto de que está certo, Dagoberto aposta na perda do mandato de Rigo e de Onevan. “Eu acho que, se seguir o que está seguindo em todo o País, eles vão perder o mandato”, opinou.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Crianças são encontradas mortas em desabamentos após temporal
INTERIOR SP

Crianças são encontradas mortas em desabamentos após temporal

PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS

Após três quedas seguidas, gasolina volta a subir em Campo Grande

Etanol apresentou redução e diesel ficou estável, segundo ANP
Candidatos chegam mais cedo por preocupação com mudança no horário
CONCURSO PÚBLICO

Candidatos chegam mais cedo por preocupação com horário

Em janeiro, 490 empresas foram abertas em Mato Grosso do Sul
ECONOMIA REGIONAL

Em janeiro, 490 empresas foram abertas em Mato Grosso do Sul

Mais Lidas