Campo Grande - MS, terça, 14 de agosto de 2018

MARÇO

Depois de três quedas acentuadas, preço da carne bovina volta a subir

18 MAR 2011Por Osvaldo Júnior00h:00

Depois de registrar quedas acentuadas por três meses consecutivos, os preços dos cortes de carne redesenham trajetória de alta de até 16,3% na primeira semana de março em relação à segunda quinzena de fevereiro. Essa reação dos preços se torna mais significativa se considerar que as deflações não tiveram força para compensar as altas dos meses anteriores. Em um ano, as variações dos valores dos cortes da carne bovina chegaram ao teto de 88%. Com exceção do filé mignon com cordão, todos os cortes de carne registraram alta na comparação entre março deste e do ano passado.

Em fevereiro, conforme a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC/CG), do Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas (Nepes) da Anhanguera Uniderp, os cortes de carne, sobretudo os nobres, registraram deflações consideráveis em relação a janeiro. O filé mignon teve queda de 18,9%, a maior variação negativa entre os itens alimentícios. Na sequência, estão a alcatra (-15,11%) e a picanha (-13%). No entanto, o consumidor não teria, ainda, motivos suficientes para encher o carrinho com carne e realizar, sem preocupações com o bolso, o tradicional churrasco de fim de semana. Isso porque os preços, que já registram inflações acentuadas nos últimos 12 meses, voltaram a subir nesse início de março.

Leia mais no jornal Correio do Estado

Leia Também