Segunda, 18 de Dezembro de 2017

ARAL MOREIRA

Depois de briga, rapaz é encontrado morto

2 JAN 2014Por A GAZETA NEWS15h:15

Um rapaz de 19 anos foi morto a tiros e outro homem está desaparecido em Aral Moreira, na fronteira com o Paraguai.

O crime aconteceu no final da tarde de ontem (01 de janeiro), nas proximidades do Clube do Laço, na saída para o Distrito de Vila Marques.

De acordo com uma testemunha ouvida pela Polícia Militar, ao passar pelo local de moto, ela teria notado dois veículos estacionados, um Gol cor escura e um Golf cor vermelha, placas de Aral Moreira (MS) e um grupo de homens, alguns armados e brigando.

Momentos depois ao retornar, a mesma testemunha se deparou com a equipe da Polícia Militar no local e reconheceu o rapaz ali morto, o estudante Leonardo Aparecido Gonçalves de Oliveira, de 19 anos, como sendo um dos envolvidos na briga que havia presenciado momentos antes.

Outra testemunha ouvida pela polícia informou que ao passar pelo local de moto, teria percebido o Gol cor escura e o Golf vermelho estacionados.

Como conhecia o proprietário do Golf, Valdenir Auxiliador Marques Sanches, também conhecido como “Baiano”, que é residente em Aral Moreira, a testemunha teria parado para ver o que estava acontecendo, mas acabou sendo expulso do local por indivíduos desconhecidos, que segundo ela, estavam armados.

De acordo com a polícia, ao deixar o local, a testemunha ainda teria notado o momento que os dois veículos deixaram o local, segundo em direção ao Distrito de Vila Marques.

Diante da situação, equipes das polícias, Civil e Militar de Aral Moreira passaram a efetuar diligências e acabou localizando o Golf, placas de Aral Moreira, abandonado às margens da Rodovia MS-165, trecho que liga Aral Moreira a Coronel Sapucaia pela linha internacional que separa Brasil e Paraguai, a cerca de cinco quilômetros da cidade de Aral Moreira.

De acordo com a polícia, foram encontradas manchas de sangue na porta, lado do motorista, no para-brisa e no interior do carro, mas não havia ninguém no local.

Segundo a Polícia Civil de Aral Moreira, que atua nas investigações do caso, até o final da manhã desta quinta-feira (2) a polícia não tinha pistas do paradeiro do proprietário do Golf, Valdenir Marques Sanches, o “Baiano”, que foi visto pelas testemunhas junto com os desconhecidos no local em que Leonardo de Oliveira foi morto e nem dos demais indivíduos que estavam no local.

De acordo com a polícia, ainda não se sabe se ''Baiano'' teria ligação com os demais indivíduos ou se é vítima deles.

Leia Também