NEGLIGÊNCIA

Denúncias de casos de erro médico crescem 37% em todo o Estado

Denúncias de casos de erro médico crescem 37% em todo o Estado
18/06/2012 00:00 - Anahi Zurutuza


Além de perder o bebê no segundo mês de gestação, a auxiliar administrativa Lidiana Bernal, de 26 anos, corre o risco de ficar estéril, depois de passar por uma curetagem — espécie de “limpeza” da cavidade uterina — ela teve o útero, o intestino e a bexiga perfurados. A moça não é a única vítima dos chamados erros médicos.

Este ano, dois casos que aconteceram em Bonito vieram à tona, além de tantas outras famílias que passaram por dramas semelhantes, mesmo que as tragédias não tenham repercutido. Um caso de má conduta médica foi registrado a cada 40 horas no ano passado em Mato Grosso do Sul.

De janeiro até agora, a Associação das Vítimas de Erros Médicos de Mato Grosso do Sul, já recebeu 48 denúncias, aumento de 37% em relação ao ano passado, quando a entidade trabalhou em 35 casos. O Conselho Regional de Medicina (CRM) recebeu em 2011, 217 denúncias de má conduta médica.

Leia mais no Correio do Estado

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".