Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

CASO SANASA

Demétrio passa a noite na mesma cela de Cândia

27 MAI 2011Por PORTAL RAC, CAMPINAS11h:38

Demétrio Vilagra, vice-prefeito de Campinas já está em uma das celas da cadeia anexa ao 2º Distrito Policial de Campinas, no bairro São Bernardo. Ele está acompanhado do ex-diretor financeiro da Sociedade de Abastecimento de Água de Campinas S/A, Marcelo de Figueiredo e do o ex-diretor de Planejamento da Prefeitura, Ricardo Chimirri Cândia.

O vice-prefeito de Campinas, Demétrio Vilagra (PT) chegou no Instituto Médico Legal de Campinas às 21h30. Ele veio do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos em um Gol preto acompanhado do delegado Roveraldo Bataglini. Após o exame de corpo de delito será levado para a cadeia anexa ao 2º Distrito Policial, onde passará a noite preso.

O vice-prefeito de Campinas Demétrio Vilagra (PT) foi preso às 19h01 desta quinta-feira (26/05) pelo delegado da Corregedoria da Polícia Civil, Roveraldo Bataglini, imediantamente após desembarcar do avião que pousou no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, em um voo vindo da Espanha. Ele estava acompanhado de mais quatro familiares.

Vilagra foi levado para a Polícia Federal para ser identificado e, em seguida, seria trazido para Campinas, onde deverá passar por exame no Instituto Médico Legal (IML). O petista deverá ficar detido na cadeia do 2º DP.

O advogado Ralph Tórtima Stettinger havia tentado a revogação do mandado de prisão temporária, mas na quarta-feira (25), o pedido foi negado pelo juiz Nelson Augusto Bernardes, da 3ª Vara Criminal de Campinas. Nesta sexta-feira (27/5), o advogado espera o julgamento do pedido de habeas corpus para soltar o vice-prefeito, que deverá ser analisado pelo desembargador Amado de Faria. Na mesma situação estão Marcelo de Figueiredo e Ricardo Cândia, ainda detidos na cadeia do 2º DP, que também esperam pelo julgamento do pedido de habeas corpus.

Vilagra deverá ser ouvido pelos promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). O vice-prefeito é suspeito de envolvimento no esquema de fraudes supostamente montado na Sanasa.

Durante os depoimentos formais dados ao Gaeco, os empresários Alfredo Ferreira Antunes e Augusto Ribeiro Antunes (pai e filho) disseram que Vilagra teria pedido dinheiro aos para pagamento de dívidas de campanha. Ainda segundo os empresários da Global Serviços, R$ 20 mil teriam sido entregues ao vice-prefeito sem serem declarados oficialmente.

O vice-prefeito teve a prisão decretada pelo juiz da 3ª Vara Criminal, Nelson Augusto Bernardes, na sexta-feira passada (20) junto com os outros 19 acusados no esquema de direcionamento de licitações, superfaturamento de preços, pagamento de propinas e lavagem de dinheiro comandado pela primeira-dama Rosely Nassim Jorge Santos.

Leia Também