Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

SERASA

Demanda por crédito sobe após 9 meses em queda

Demanda por crédito sobe após 9 meses em queda
09/08/2012 09:05 - terra


A busca de consumidores por crédito em julho deste ano foi 8% maior que a registrada no mesmo período de 2011. É a primeira alta em nove meses na comparação com o mesmo mês do ano passado. Com relação a junho último, o crescimento foi de 2%, mas no acumulado do semestre, a demanda caiu 6% com relação a 2011. As informações são de pesquisa divulgada nesta quinta-feira pela Serasa Experian.

Segundo os economistas da entidade, a retomada pelo crédito veio com as reduções das taxas de juros, os incentivos fiscais e a queda da inadimplência. A pesquisa registrou também que as famílias com rendas mais baixas foram as que mais procuraram crédito em julho. Na comparação com junho, os consumidores que ganham até R$ 500 por mês aumentaram sua demanda em 7,9%, enquanto os que ganham de R$ 5 mil a R$ 10 mil por mês expandiram o crédito em apenas 6,4%.

Os especialistas explicam que o aumento do salário mínimo foi o que mais incentivou o crédito dos que têm salários menores. Os que ganham até R$ 500 aumentaram o crédito em 3,2% com relação ao mesmo mês de 2011, enquanto todas as outras faixas de renda apresentaram queda na comparação.

Quanto às regiões, a maior alta na busca por crédito na comparação anual foi no Norte, com 8,8%. Na comparação mensal, por outro lado, a porcentagem de crescimento do crédito na região é a menor de todas: 3,8%. No acumulado dos seis primeiros meses do ano, todas as regiões, com excesso do Norte (1%), demonstraram retração na procura por crédito esse ano.

Felpuda


As conversas vêm acontecendo muito, mas muito reservadamente mesmo, e dão conta de que suplente poderá receber convocação, assumir a titularidade do cargo e por lá ficar por tempo indeterminado. Como é óbvio, tem gente jurando que nunca ouviu nem sequer falar sobre o assunto. O motivo não seria nada ligado a possíveis atos de irregularidades, mas sim por problemas de ordem pessoal.