Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

Reajuste

Demanda encarece em até 33% cortes de boi e frango

22 OUT 2010Por 06h:15

Nos supermercados, os preços dos principais cortes bovinos estão até 31,7% mais altos, na comparação com outubro do ano passado. O consumo mais aquecido também elevou preços de frango e suíno. A ave inteira ficou 33% mais cara no período (de R$ 3,09 para R$ 4,11), e a costelinha de porco, 16,17% (de R$ 7,17 para R$ 8,33), segundo o Núcleo de Pesquisas Econômicas da Universidade Anhanguera-Uniderp, de Campo Grande.
Os cortes do boi mais salgados são: acém, que subiu de R$ 7,46 para R$ 9,83 (+31,7%); peito, de R$ 7,61 para R$ 9,56 (+25,5%); costela, de R$ 5,10 para R$ 6,39 (+25,1%); filé mignon, de R$ 19,29 para R$ 23,99 (+24,3%); e coxão mole, 22,8% mais caro (passou de R$ 11,73 para R$ 14,41).
Os preços mais altos sãomotivados também pelo consumo, que cresce junto com a renda do brasileiro, segundo análise de Julio Brissac, da Rural Business. A tendência é que o preço da arroba no Brasil se aproxime do de outros países, como Estados Unidos (R$ 140), elevando ainda mais o preço ao consumidor. Ele se mostra disposto a pagar. Para Brissac, mesmo se a arroba atingir R$ 100, o consumo não cairá como o esperado. “A atual situação contraria analistas que achavam que o consumidor não absorveria o preço da arroba”, avalia. Mesmo a R$ 100, o boi deve continuar na mesa do sul-mato-grossense, ainda que dividindo espaço com outros tipos. (CHB)

Leia Também