Campo Grande - MS, terça, 21 de agosto de 2018

SERASA

Demanda das empresas por crédito sobe 10%

17 MAR 2011Por INFOMONEY09h:51

A demanda das empresas por crédito registrou elevação. No mês passado, a alta foi de 10,2% frente a fevereiro de 2010, mostra o Indicador Serasa Experian da Demanda das Empresas por Crédito.

Segundo os economistas da Serasa Experian, o feriado de carnaval, no mês de março este ano, impactou positivamente a procura das empresas por crédito em fevereiro, fazendo com que este mês, em 2011, apresentasse uma quantidade de dias úteis a mais do que normalmente se registra.

No entanto, tal efeito deverá ser revertido no mês de março que, além de uma quantidade de dias úteis abaixo do padrão histórico, contará ainda com os efeitos restritivos do atual ciclo de aumento dos juros.

Segundo os dados divulgados nesta quinta-feira (17), na comparação com janeiro, a procura por crédito pelas empresas registrou alta de 5,3%.

Porte e setor
Analisando o resultado mensal por porte, pode-se verificar que as MPEs tiveram destaque positivo em fevereiro, pois apresentaram avanço de 5,5% frente a janeiro.

As média empresas também registraram alta, porém em nível menos acentuado, de 0,5%. Por outro lado, observou-se nas grandes empresas queda de 0,2% no período.

Na análise anual, as MPEs foram as únicas que registraram alta no período, de 11%. Por sua vez, as grandes e médias empresas apresentaram resultados negativos, de 1,2% e 1,4%, respectivamente.

Considerando os setores, na comparação com janeiro, as empresas do setor de Comércio apontaram o melhor resultado no período, de 5,8%. Serviços e Indústria seguiram pelo mesmo caminho e registraram altas de 5,2% e 3,4% cada.

Na comparação com fevereiro de 2010, por outro lado, Serviços registrou a maior alta, de 13,4%. Comércio e Indústria registraram avanços de, 9,1% e 5,2%, respectivamente.

Análise regional
Quanto à análise regional, em quatro das cinco regiões foram verificados avanços na procura por crédito frente a janeiro deste ano.

No período, o maior destaque ficou com a região Sudeste, cuja busca foi 7,5% maior. No Centro-Oeste, o indicador registrou alta de 5,6%; no Nordeste, alta de 4,2%; e no Sul, avanço de 2,2%. Somente na região Norte o indicador apontou queda, de 1,1%.

Na comparação anual, o Centro-Oeste foi o destaque, marcando alta de 11,8%. Nesse quesito, a região Sudeste apresentou a segunda maior alta, de 10,9%.

Sul e Nordeste vieram a seguir, com avanços de 9,9% e 9,7%, respectivamente. Já o Norte apontou o menor resultado, de 3,3%.

Leia Também