domingo, 22 de julho de 2018

Deaij

Delegacia indicia presidente do CDDH

23 DEZ 2010Por Vânya Santos02h:00

A Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (Deaij) indiciou na terça-feira o presidente do Centro de Defesa da Cidadania e Direitos Humanos Marçal de Souza Paulo Ângelo de Souza pela prática de denunciação caluniosa. Segundo a delegada Maria de Lourdes Souza Cano, o presidente disse à imprensa que os adolescentes que entravam na Unidade Educacional de Internação (Unei) Dom Bosco eram estuprados por outros menores e que o fato era de conhecimento dos agentes. Até o momento, 73 pessoas foram interrogadas e ninguém confirmou a denúncia.

A titular da Deaij contou que em 3 de setembro deste ano Paulo Ângelo denunciou a suposta prática. Cinco dias depois a delegada deu início às investigações. "Ouvi agentes, professores, psicólogos, mães e todos os adolescentes internados. Procurei saber de cada um deles porque uma pessoa não pode fazer denuncia sem origem", ressaltou. A pena para o crime pode chegar a oito anos de reclusão. O presidente foi procurado para falar sobre o caso, mas não foi encontrado.

Leia Também