Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Delcídio se une a Dagoberto contra Moka

28 JUN 10 - 06h:22
adilson trindade e Fernanda brigatti

O senador Delcídio do Amaral (PT) deixou as arestas de lado e incorporou a candidatura do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) como parceiro na disputa para o Senado. “Para aguentar uma chapa desta, não é mole, não”, declarou, em seu discurso, na convenção do PDT. Ele disse que os adversários vão ter de trabalhar muito para derrotá-lo e destacou, ainda, a força eleitoral do ex-governador José Orcírio dos Santos. “Esta chapa, sob ponto de vista ideológico e político, é uma chapa ousada”, acrescentou. Delcídio conclamou o apoio de todos os aliados para reelegê-lo e assegurar a eleição de Dagoberto para derrotar o deputado federal Waldemir Moka (PMDB).

Em seu discurso, Delcídio reconheceu que não será uma disputa fácil, porque os adversários vão entrar na campanha eleitoral jogando pesado para não entregar o poder. Mas avisou: “não vale canelada, não vale baixaria, temos de discutir projetos”.

O senador convocou toda a militância de ativista, como defendeu o presidente municipal de Campo Grande do PDT, vereador Paulo Pedra, para conquistar votos para a chapa da oposição ao governador André Puccinelli e para a ex-ministra Dilma Rousseff (PT) na disputa para a Presidência da República.
“Seremos três ‘Ds’: Dilma, Delcídio e Dagoberto. Isto nas ruas será um estrago” para os adversários, na avaliação do senador petista. Ele aconselhou ainda o candidato do PDT a se manter tranquilo nos ataques que vem sofrendo dos rivais. Segundo Dagoberto, os prefeitos estão sendo coagidos pelos adversários a declarar apoio ao governador André Puccinelli, sob risco de represália. “Os prefeitos todos têm medo do governador”, afirmou.

O outro “D” da disputa pelo Senado também entrou na campanha à reeleição do companheiro de chapa. “O PDT não pode abrir mão de votar no Delcídio. Eu não admito nenhum pedetista votando em candidato de outro partido”, disse Dagoberto.
Seguindo o clima de confraternização entre as siglas, a primeira-suplente na chapa de Dagoberto, a professora Gilda Maria dos Santos, disse que a responsabilidade por sua candidatura, nas eleições deste ano, cabe ao PDT. “Falo pela 1ª vez como candidata a um cargo político e graças ao PDT”, afirmou.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Confira o horóscopo deste domingo
ASTRAL

Confira o horóscopo deste domingo

CORREIO RURAL

Fertilizantes: código de uso sustentável recomenda boas práticas

BRASIL

Falta de objetividade na Justiça tem custo alto, diz Alexandre de Moraes

BRASIL

Presidente do Sindicato dos delegados de PF critica Bolsonaro

Mais Lidas