Quarta, 13 de Dezembro de 2017

MENSALÃO

Delator diz que enviará a STF nome e CPF de quem ajudá-lo

15 FEV 2014Por g115h:15

O ex-deputado Roberto Jefferson (PTB), condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão, informou em nota publicada neste sábado (15) no blog que mantém na internet que enviará ao STF lista com o nome e CPF de quem fizer doações para ajudá-lo a pagar multa imposta na condenação.

Jefferson foi condenado em 2012 a sete anos e 14 dias de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, além de multa inicialmente calculada em R$ 720,8 mil, mas que ainda será corrigida pela inflação. Em entrevista ao jornal "O Globo", ele afirmou que poderá ser preso na próxima semana.

No texto publicado neste sábado e intitulado "Tudo às claras", o delator do mensalão afirmou que não fará campanha de arrecadação virtual – o ex-ministro José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, todos condenados pelo STF no processo do mensalão e que já estão presos, criaram sites para arrecadar doações.

“Não farei campanha de arrecadação virtual, e assim que conseguir reunir os recursos e pagar a multa, pretendo enviar ao STF lista com o nome e o CPF de todos os que me ajudaram”, publicou Jefferson.

Na última semana, em texto publicado no blog, Jefferson já havia afirmado que pagará a multa do mensalão com recursos próprios e com a ajuda de colegas do PTB.

Para conseguir o valor total, o ex-deputado do PTB disse ainda que venderá o escritório que possui no Rio de Janeiro. Segundo ele, o imóvel vale entre R$ 450 mil e R$ 500 mil.

“O que faltar para cobrir o total da multa será arrecadado junto aos amigos do partido”, publicou o ex-deputado.

Espera

A condenação de Jefferson já transitou em julgado no Supremo, ou seja, não cabe mais nenhum recurso. No entanto, ele ainda espera decisão do relator do processo, ministro Joaquim Barbosa, sobre a prisão. Por motivos de saúde, o ex-deputado pediu para cumprir pena em prisão domiciliar. Barbosa ainda não decidiu se concede ou não o pedido.

O ex-parlamentar passou por cirurgia em julho de 2012 para retirada de tumor. Em dois anos, perdeu 20 quilos, conforme os médicos que o atenderam. Atualmente, ele faz tratamento com injeções e realização de exames, segundo sua assessoria.

Leia Também