Terça, 20 de Fevereiro de 2018

Deficientes não enfrentaram muitos problemas

4 OUT 2010Por Eduardo Miranda02h:21



Os portadores de necessidades especiais conseguiram votar normalmente ontem nas seções eleitorais de Campo Grande. Algumas escolas, como a Osvaldo Cruz, no centro da cidade, disponibilizaram acessos especiais para os portadores de deficiência, e outros locais, como o Instituto Sul-Mato-Grossense para Cegos Florivaldo Vargas (Ismac), concentraram boa parte dos eleitores que precisam de atendimento para votar.
“Não tive problema nenhum, foi muito fácil, e foi o meu primeiro voto”, disse o estudante Lucas Zeferino Chaves, 18 anos. “A gente se sente mais importante votando”, completou o jovem, portador de deficiência física, que votou no Ismac.
No instituto para cegos, a única urna instalada no local é especial para o atendimento de deficientes visuais. Ela é dotada de fone de ouvido, instrumento que transmite o nome do candidato ao eleitor, após ele digitar os números nos botões impressos em braile.
Conforme o Tribunal Regional Eleitoral, 442 seções eleitorais em todo o Estado foram adaptadas com fones de ouvido nas urnas para o atendimento aos portadores de deficiência.

Leia Também