Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

testemunhas de defesa

Defesa será ouvida em fevereiro

15 DEZ 2010Por 04h:05

O juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Aluízio Pereira dos Santos, agendou para às 13h30min do próximo dia 8 de fevereiro audiência para ouvir sete testemunhas de defesa dos acusados de envolvimento na morte do vereador de Alcinópolis, Carlos Antônio Costa Carneiro (PDT), morto com três tiros na manhã de 26 de outubro, na Capital. Na ocasião, está prevista a oitiva do policial civil Edmilson da Silva, que não compareceu a audiência na tarde de ontem, e também o interrogatório dos réus Irineu Maciel, 37 anos, Aparecido Souza Fernandes, 34, e Valdemir Valsan.

Durante o mês de janeiro outras duas testemunhas de defesa, amigos de Irineu, devem prestar depoimento na Comarca de Ponta Porã, por meio de carta precatória.

 Execução
O vereador e também presidente da Câmara de Alcinópolis, Carlos, foi executado no dia 26 de outubro, na Rua Guia Lopes, região central da Capital, nas proximidades do Hotel Vale Verde. Irineu e Aparecido foram presos em flagrante pouco depois de matarem o vereador e indiciados como autores, enquanto Valdemir – cunhado de Irineu – é apontado como intermediador do crime. Os réus contaram que a morte foi encomendada e que receberiam R$ 20 mil.

O pai do vereador assassinado e vice-prefeito de Alcinópolis, Alcino Fernandes Carneiro (PDT), acusou o prefeito Manoel Nunes da Silva (PR) de ser o mandante do crime. Já o acusado negou, mas por orientação do delegado da cidade, Camilo Kettenhuber Cavalheiro, deixou o município por alguns dias. O vereador investigava supostas irregulares no orçamento da administração municipal. (VS)

Leia Também