Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Assine a Newsletter

Defesa pede habeas corpus para Bruno e mais 6

16 JUL 10 - 08h:48
BELO HORIZONTE

A defesa do goleiro Bruno protocolou ontem habeas corpus para o atleta e mais seis suspeitos no caso do desaparecimento da ex-amante dele, Eliza Samudio. Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, os pedidos foram distribuídos para a 4ª Câmara Criminal e serão analisados pelo desembargador Doorgal Andrade.
O habeas corpus, protocolado pelos advogados Ércio Quaresma Firpe e Claudineia Carla Calabund, se estende a Bruno, sua mulher, Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, a Elenilson Vitor da Silva, Wemerson de Souza, o Coxinha, Flavio Caetano de Araújo, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, e o primo de Bruno, Sérgio Rosa Sales Camelo.
No pedido, a defesa cita o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluzo, para argumenta, que: “A menos que seja absolutamente necessário, não se deve mandar um criminoso para a cadeia. A prisão não deve funcionar como uma satisfação dessa pulsão primitiva que o ser humano tem pela vingança”.
Os advogados defendem o princípio da presunção da inocência. Segundo Quaresma, “no presente caso, salvo a necessidade de se torturar física e psicologicamente os suspeitos, nada mais justifica o encarceramento deles, em especial do ora paciente”.
Segundo o defensor, Bruno é goleiro, um atleta disputado por clubes do mais alto nível, e está tendo a carreira prejudicada, “em virtude da segregação de sua liberdade que não se mostra necessária”.

Depoimento
Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, prestou outro depoimento ontem à tarde na polícia de Minas Gerais sobre o desaparecimento de Eliza Samudio, ex-namorada do goleiro Bruno. Ele foi ouvido pelos delegados do caso, Edson Moreira e Alessandra Wilke, no Departamento de Investigações de Belo Horizonte, onde chegou por volta das 15h.
Também ontem, atendendo a um pedido da Polícia Civil, a juíza Marixa Rodrigues, do Tribunal do Júri de Contagem, na região metropolitana de BH, autorizou a quebra de sigilo telefônico de Bola, e mais quatro investigados no desaparecimento. A medida é referente também a Wemerson de Souza (o Coxinha), Flavio Caetano de Araújo, Elenilson Vitor da Silva e o menor J., primo de Bruno de 17 anos.
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

EDUCAÇÃO

Após problemas no Enem, Sisu ficará aberto por mais 2 dias

QUATRO MORTES

Sobe para 21 o número de casos suspeitos de intoxicação por cerveja

Abertura de mercados internacionais ampliam perspectivas econômicas, diz presidente do Sicredi
COOPERATIVISMO

Abertura de mercados internacionais ampliam perspectivas econômicas, diz presidente do Sicredi

Confira o resultado final <br>do vestibular da UFMS
EDUCAÇÃO

Confira o resultado final
do vestibular da UFMS

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião