Defesa Civil pronta para retirar ribeirinhos

Defesa Civil pronta para retirar ribeirinhos
28/01/2010 22:22 - DA REDAÇÃO


As chuvas que caem ininterruptamente nas cabeceiras do Paraguai e seus afluentes levaram a Defesa Civil estadual a antecipar plano de retirada emergencial das famílias ribeirinhas na planície pantaneira, em especial na região do Nabileque, município de Porto Murtinho, caso se confirme grande enchente neste ano. A Defesa Civil vem monitorando o nível do Rio Paraguai junto com a Marinha do Brasil desde o início do período de chuvas. Em Porto Murtinho – cidade devastada por duas grandes enchentes no século passado – o nível está em 3,63, mais de um metro acima do registrado no mesmo período de 2009, de 2,60 m, sinalizando cheia antecipada. De acordo com o sargento do Corpo de Bombeiros Damião Marques Nepomuceno, do destacamento de Murtinho, com registros de chuvas nas cabeceiras do Paraguai e tributários, como no município de Cáceres, em Mato Grosso, é esperada uma cheia significativa e mais cedo em Mato Grosso do Sul. Por conta disso, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil determinou elaboração de planos de retirada dos ribeirinhos nos próximos 30 dias, com a preparação de embarcações e, em casos mais críticos, montagem de barracas e fornecimento de gêneros alimentícios. “Procuramos trabalhar sempre com a prevenção. Como sabemos que chove muito em Mato Grosso, aguardamos a descida das águas com preparo de embarcações de médio e grande porte que vamos utilizar em caso de necessidade, como resgate de famílias, transportes de alimentos e medicamentos”, disse o oficial do Corpo de Bombeiros que integra corpo da Defesa Civil estadual. É importante salientar que os rios Aquidauana, Apa, Perdido, Negro, Aquidaban, Capivara e Tererê, Vermelho, Miranda, Taquari, Piquiri e Abobral estão todos cheios e toda essa água está direcionada para o rio Paraguai. “A nossa preocupação é mais com os ribeirinhos, porque a cidade tem proteção sólida do dique e isso nos tranquiliza, mas sem abrir mão de estarmos em prontidão”, disse Damião Marques Nepomuceno. (Colaborou Toninho Ruiz)
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".