Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

AMAMBAI

Defensoria garante energia para famílias

13 JAN 14 - 11h:30A GAZETA NEWS

Por meio de uma ação de “obrigação de fazer”, a Defensoria Pública da Comarca local garantiu junto a Justiça, energia elétrica para diversas famílias moradoras na região da Vila Cristina, uma das vilas mais populosas da cidade, Amambai.

Segundo o defensor público Marcelo Marinho da Silva, as ações foram protocoladas entre o final do ano de 2012 e o início do ano de 2013.

Em primeira instância a Justiça da Comarca de Amambai condenou a Enersul (Empresa Energética de Mato Grosso do Sul) a fazer as religações e instalar energia às famílias.

A empresa recorreu da decisão e no final do ano passado (2013) o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul confirmou a sentença, obrigando a empresa a cumprir a ordem judicial.

O caso

De acordo com o defensor público que protocolou a ação,  Marcelo Marinho, como parte da região da Vila Cristina, principalmente a periférica, é fruto ocupação irregular, a Enersul alegava que não poderia fazer as ligações de energia nas casas por conta dos moradores não terem a documentação que os legitimassem como proprietários dos terrenos.

Segundo a Defensoria, além de não efetuar novas ligações, a empresa, que tem o monopólio do fornecimento de energia elétrica na cidade, teria inclusive suspendido o fornecimento a moradores que estavam nas mesmas condições.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

ECONOMIA

Pan, BMG e Bradesco lideram ranking de reclamações contra bancos do BC

ECONOMIA

Superintendência do Cade decide arquivar inquérito contra bandeiras de cartões

BRASIL

Quadrilha desviava cartões de crédito remetidos pelos Correios

Estado restaura as MS-164 e MS-384, vias de escoamento e integração da fronteira
TRANSPORTES

Estado restaura as MS-164 e MS-384, vias de escoamento e integração da fronteira

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião