Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

LIBERTADORES

Deco decide, Fluminense vira no fim e renasce

23 MAR 2011Por TERRA23h:12

A situação crítica do Fluminense na Copa Libertadores sofreu uma reviravolta nesta quarta-feira, no Engenhão. Com atuação decisiva de Deco, que entrou no segundo tempo e contribuiu com uma assistência e um gol aos 41min, a equipe tricolor bateu o América do México por 3 a 2, de virada, e deixou a lanterna do Grupo 3. Gum e Araújo marcaram os outros gols dos donos da casa, enquanto Vicente Sánchez descontou duas vezes.

Agora, o Fluminense soma cinco pontos após quatro rodadas, ultrapassando o Nacional do Uruguai, que tem quatro e é o próximo adversário tricolor. O líder é o Argentinos Juniors, que tem sete pontos - um a mais que o segundo colocado América.

A equipe carioca encerrará sua participação na fase de grupos com dois jogos fora de casa, contra Nacional e Argentinos Juniors. Para avançar sem depender de outros resultados, precisa de duas vitórias.

Na partida desta quarta-feira, o Fluminense dominou as ações durante os 90 minutos e apertou o América, mas sofreu dois gols em vacilos do sistema defensivo. Nos últimos minutos, com uma formação totalmente voltada para o ataque, a pressão deu resultado e a equipe virou o confronto com participação crucial de Deco.

O jogo

Enderson Moreira escalou o Fluminense em um 4-4-2 tradicional, com Diguinho e Valencia à frente da defesa, Souza e Conca mais avançados e Emerson auxiliando Fred no ataque. Pelo lado mexicano, o técnico Carlos Reinoso armou um meio de campo em losango, com o veterano volante Pardo por vezes recuando para a zaga; o ex-corintiano Rosinei e o uruguaio Nico Olivera auxiliavam o camisa 10 argentino Daniel Montenegro na armação.

O time carioca começou nervoso e logo no primeiro minuto Ricardo Berna se atrapalhou com Digão após levantamento na área, mas nenhum adversário aproveitou. Apesar do susto inicial, a equipe da casa logo passou a dominar a posse de bola, enquanto o América se fechava na defesa e deixava apenas os dois atacantes à frente, prontos para o contra-ataque.

Com Emerson e Fred se mexendo pouco, o Fluminense tinha dificuldades em criar chances claras. Aos 9min, sobrou para o volante Valencia arriscar um chute de longe que passou perto do travessão. Os dois laterais tricolores avançavam constantemente ao ataque, mas o time não tinha velocidade suficiente para abrir a defesa dos mexicanos.

Mesmo avançando pouco, o América abriu o placar aos 14min. Após lançamento na área dos cariocas, Ricardo Berna voltou a bater cabeça com Digão na saída do gol e largou a bola nos pés do atacante Vicente Sánchez, que se esticou, chegou antes da defesa e empurrou para as redes. Os jogadores do Fluminense reclamaram muito de falta em Berna, mas o choque do goleiro foi com o próprio Digão.

Mesmo nervoso, os donos da casa não demoraram a empatar. Aos 20min, Conca levantou da meia direita, o goleiro Navarrete saiu mal e Gum desviou de cabeça para o gol. O Fluminense seguiu pressionando e ficando com a bola durante a maioria do tempo, mas o América marcava bem.

Aos 29min, Júlio César levantou e Emerson apareceu para cabecear, mas errou o alvo. Os mexicanos só ameaçavam em alguns contra-ataques, mas levavam poucos jogadores à frente e não criavam boas chances.

Aos 41min, o time tricolor reclamou muito de um toque de mão do zagueiro Cervantes pouco antes da risca da grande área, mas a arbitragem deixou o lance seguir. Nos últimos minutos do primeiro tempo, duas grandes defesas mantiveram o placar inalterado: primeiro Navarrete espalmou chute forte de Souza, depois Ricardo Berna fez intervenção espetacular em finalização à queima-roupa de Montenegro.

Na volta para a segunda etapa, a equipe anfitriã continuou mandando na partida. No primeiro minuto, Fred deu lindo drible em Cervantes dentro da área e bateu sem ângulo, mas Navarrete espalmou. Pouco depois, aos 6min, Mariano sentiu lesão muscular e foi substituído por Deco, deslocando Souza para a lateral direita.

A pressão tricolor continuou aos 7min, quando Emerson chutou forte de fora da área e Navarrete espalmou para escanteio, mas o juiz errou e marcou tiro de meta. Rapidamente, porém, o jogo voltou ao padrão do primeiro tempo: domínio de posse do Fluminense, mas muitos erros de passe e poucas oportunidades claras.

A torcida passou a pedir a entrada de Rafael Moura e foi atendida aos 24min, quando o centroavante substituiu Emerson, que saiu reclamando de dores. Dois minutos depois, entretanto, o América voltou a marcar contando com a sorte: Sánchez tentou cruzar da esquerda, pegou mal na bola e acabou encobrindo Ricardo Berna. Digão ainda tentou afastar em cima da linha, mas entrou com bola e tudo.

Enderson Moreira foi para o tudo ou nada e colocou o atacante Araújo na vaga do lateral Júlio César, deixando a equipe exposta aos contragolpes mexicanos. Aos 33min, o América teve três contra dois no ataque, mas Vuoso tentou driblar em vez de passar e perdeu a bola. No minuto seguinte, o Fluminense empatou: Deco avançou pela direita e cruzou na medida para Araújo, que cabeceou firme no canto de Navarrete.

Quando tudo apontava para um empate que deixaria o Fluminense em situação muito complicada na classificação, Deco decidiu. Fred desviou de cabeça lançamento para a área e o camisa 20 tocou por cima do goleiro, para virar o jogo e reacender as esperanças tricolores na competição. 

Leia Também