Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

Dourados

Debate sobre sacolas plásticas será retomado

4 JUN 2011Por Laís Camargo07h:35

Dezenas de prefeituras do Brasil estão determinando o fim das sacolas plásticas. O que antes era uma solução prática, agora se tornou um vilão do meio ambiente.

Em Dourados a discussão ainda não começou, mas o prefeito Murilo Zauith encaminhou proposta para Câmara. Ele argumenta que é necessário debater o assunto com a sociedade. “O Meio ambiente é assunto do século 21 e nós devemos debater o uso das sacolas que já estão proibidas em varias cidades do país”, opina o prefeito.


Em Caarapó já há uma lei que regula este setor. Os comerciantes têm até o final deste ano para se adaptar à nova regra e a partir de 2012 terão que conscientizar os consumidores a utilizar as sacolas biodegradáveis ou reutilizáveis nos estabelecimentos comerciais.


Consciência


Para o administrador João Carlos da Silva, gerente de um comércio de roupas em Dourados, está na hora da população tomar atitudes mais concretas em prol do meio ambiente. “De fato a distribuição de sacolas plásticas no comércio é grande. Há um ano a nossa empresa substituiu o plástico pelo papel. Deu certo e os clientes aprovaram”, disse ele.
Quem também aprova o fim da sacola plástica é o empresário do ramo de supermercado, Edson Dutra. Ele diz que a cada 45 dias gasta em média de R$ 4 mil a R$ 5 mil na compra de sacolinhas. “Ainda trabalhamos com esse método, mas sou a favor das biodegradáveis”, comenta o empresário, dono do supermercado Big Bom.


Se para o empresariado o fim da sacola plástica é uma excelente opção, para o consumidor está longe de ser uma boa idéia. A dona de casa Maria Marques Oliveira diz que elas são de grande valia. “Todas que eu trago do mercado são utilizadas para colocar lixo. Se decretarem o fim delas passarei a comprar aquelas de maior tamanho, de 50 a 100 litros, vendidas no próprio mercado, o que dá na mesma. Vejo que a diferença é que ao invés de distribuir sacola eles querem obrigar que nós a compremos”, questiona a dona de casa.
 

Outras adesões


Pelo menos 13 capitais brasileiras já aprovaram leis que limitam ou proíbem a utilização de sacolas plásticas em estabelecimentos comerciais: Belo Horizonte, Brasília, Florianópolis, Goiânia, João Pessoa, Palmas, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Teresina, Vitória, São Luis e Natal. Outras capitais estão com projetos em tramitação que pedem o fim das sacolas plásticas.

 

Com informações do Dourados Agora

Leia Também