Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

PREFEITURA DA CAPITAL

De olho em 2012, deputados estudam transferir o título

29 OUT 2010Por LIDIANE KOBER04h:02

De olho na Prefeitura de Campo Grande, parlamentares do interior do Estado estudam mudar o domicílio eleitoral. Assim que terminar a disputa pela sucessão presidencial, o deputado estadual Reinaldo Azambuja (PSDB) vai discutir com partido a possibilidade. O PT, por sua vez, já cogita o nome do deputado estadual Paulo Duarte para concorrer à prefeitura da Capital, mas ele afirmou que nunca pensou na hipótese. Para ele, o foco é a eleição presidencial. “Depois, o PT precisa fazer uma avaliação sobre seu futuro”, defendeu.

Azambuja confirmou a possibilidade de transferir seu título de Maracaju para Campo Grande. O plano, segundo ele, é “preparar o partido para 2012”, quando serão realizadas as eleições municipais. O tucano ressaltou que a decisão de trocar seu domicílio eleitoral será coletiva. “Depois da disputa presidencial, vou me reunir com a senadora Marisa (Serrano) com os vereadores da Capital e com o presidente municipal do PSDB (João Rocha). Juntos vamos decidir o que será melhor para o PSDB”, frisou.

O tucano, contudo, não confirmou a intenção de concorrer à Prefeitura de Campo Grande. Ele só reconheceu a intenção de “reforçar” o partido. Independentemente de entrar ou não na disputa, seu nome fortalece o PSDB em uma eventual formação de aliança e divisão de cargos.

Nas eleições de 2006, Azambuja foi o recordista nas urnas com 47.772 votos. Este ano, ele foi o segundo colocado na disputa por vaga na Câmara de Deputados, com 122.213 votos.

PT
Nas rodas de conversas dos petistas, o deputado estadual Paulo Duarte é cotado para concorrer à prefeitura da Capital. O problema é que ele também é um forte nome para disputar a Prefeitura de Corumbá, sua base eleitoral e cidade natal.

O nome do parlamentar entrou na lista de possíveis candidatos a prefeito de Campo Grande levando em conta o fato de, pela segunda eleição consecutiva, ter sido o deputado estadual mais votado da coligação petista. Em 2006, ele obteve 42.107 votos e, este ano, contou com o apoio de 40.991 eleitores. Além disso, Duarte reside há mais de 30 anos na Capital, mas seu domicílio eleitoral é em Corumbá.

“Não passa pela minha cabeça (concorrer à prefeitura da Capital)”, garantiu o deputado. “Acabei de sair de uma eleição, não quero atropelar as coisas”, completou.

Para Duarte, antes de pensar em 2012, o PT precisa conversar sobre as últimas eleições. “O partido não pode fugir de uma avaliação”, defendeu.

A preocupação do parlamentar reside nas possíveis consequências da divisão interna entre os grupos do senador Delcídio do Amaral e do ex-governador José Orcírio dos Santos. Em 2006, Delcídio queixou-se de ter sido abandonado na campanha pelo então governador. Agora, é Orcírio quem acusa o senador de “só olhar para seu umbigo” no último pleito.

Leia Também