Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ATACANTE

Dagoberto pode deixar São Paulo de graça

Dagoberto pode deixar São Paulo de graça
19/04/2011 15:10 - terra


Adaptado por Paulo César Carpegiani à função de principal atacante no esquema do São Paulo, com liberdade para se movimentar por todo o setor ofensivo, Dagoberto se firmou como líder de gols e assistências da equipe em 2011. Apesar do ótimo desempenho, o jogador ainda não foi procurado pela diretoria para estender seu vínculo com o clube, que termina em 18 de abril de 2012 - em novembro deste ano, ele já estará livre para assinar um pré-contrato com outro time.

Questionado sobre a chance de "imitar" o zagueiro Miranda, que já tem acerto com o Atlético de Madrid (ESP) e vai deixar o São Paulo no meio do ano sem compensação financeira ao clube tricolor, Dagoberto não descartou a possibilidade.

"Acho que você tem que cumprir seu contrato. Eu assinei por cinco anos, então o mínimo que eu tenho que fazer é ficar por cinco anos. Depois disso, a vida segue para cada um", desconversou.

O atacante já teve propostas para deixar a equipe do Morumbi mais de uma vez durante seu contrato, mas o clube nunca chegou a um acordo para liberá-lo. "Vamos esperar, que o futuro ainda vai dizer muita coisa" afirmou o jogador, que não sabe se conseguiu conquistar a todos no São Paulo em seus quatro anos no clube: "É difícil falar. Mas conquistar, eu já conquistei a minha mulher", brincou.

Apesar da nova função em campo estar rendendo ótimas atuações no ano, Dagoberto não vê problemas em atuar ao lado de um centroavante mais tradicional - no caso, Luís Fabiano, que fará sua estreia na partida de volta contra o Goiás, no Morumbi, pela Copa do Brasil. "Sempre joguei me movimentando, saindo da área, e ainda jogo assim no esquema de hoje. Até prefiro jogar com uma referência", minimizou.

Felpuda


O desgaste de antigas lideranças nacionais, com reflexo em nível local, é a maior preocupação dos dirigentes de partidos para as eleições deste ano, que terá reflexo em 2022. Em épocas passadas, essas figurinhas cruzavam os céus do País para visitarem os municípios e pedirem que a população votasse em seus ungidos. Agora, com pendências judiciais e poder enfraquecido, dificilmente seriam convidadas. A pandemia, que resultou no isolamento social, foi a pá de cal.