Terça, 20 de Fevereiro de 2018

negociações

Dagoberto deve assumir presidência da Eletrosul no governo Dilma

24 DEZ 2010Por Fernanda BRigatti04h:10

Depois de perder a disputa para o Senado, o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) deve ocupar a presidência da Eletrosul no Governo de Dilma Rousseff a partir de 2011. As negociações com a presidente eleita avançaram para um acordo. "Eu já disse a ela que não estava a fim de salário, mas quero poder trabalhar, fazer política", disse Dagoberto.

Ontem, o presidente da Força Sindical e deputado pelo PDT, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, afirmou que apesar de a presidente eleita Dilma Rousseff já ter fechado seu ministério, o PDT continua firme nas negociações para o preenchimento de cargos do segundo escalão. "Nós entendemos que muitas pessoas do nosso partido se envolveram profundamente na campanha da presidente eleita e agora vamos negociar para que ela abra espaço no governo para essas pessoas", disse.

De acordo com Paulinho, a ideia é que o PDT seja contemplado na direção de empresas do setor elétrico, como Itaipu e Eletrosul.

Além de Dagoberto, Paulinho citou também o nome de Osmar Dias, candidato derrotado ao governo do Paraná. Ele afirmou que ambos tinham chances de vitória e, por conta do comprometimento com a campanha de Dilma, foram prejudicados em suas aspirações.

"Para Osmar Dias estamos negociando a presidência da Itaipu e para Dagoberto queremos a presidência da Eletrosul", disse Paulinho, acrescentando que as negociações estão caminhando.

Em Mato Grosso do Sul, o PDT fez aliança com o PT e defendeu a candidatura de Dilma. Dagoberto foi um dos principais articuladores desse acordo com o PT e desistiu de concorrer à reeleição para se arriscar na disputa por uma das duas vagas no Senado.

A previsão é que o anúncio das vagas a serem preenchidas pelo PDT deve ficar para a primeira quinzena de 2011, quando a presidente eleita cuidará do segundo escalão. "Fizemos algumas reivindicações e a Dilma disse que na medida do possível vai atender", afirmou Dagoberto Nogueira.

Leia Também