Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Cubana que deixou Mais Médicos é contratada pela Associação Médica Brasileira

Cubana que deixou Mais Médicos é contratada pela Associação Médica Brasileira
11/02/2014 15:15 - Agência Brasil


A cubana Ramona Rodríguez, que deixou o Programa Mais Médicos, foi contratada hoje (11) pela Associação Médica Brasileira (AMB). De acordo com a entidade, ela vai exercer função administrativa e receber salário de R$ 3 mil, além de vales-transporte e refeição e plano de saúde. Ao todo, a remuneração ficará em torno de R$ 4 mil.

Ramona trabalhava pelo Mais Médicos no município paraense de Pacajá, mas deixou o programa por não concordar que os profissionais cubanos recebam US$ 400 (aproximadamente R$ 960) enquanto os demais participantes têm salário de R$ 10 mil.

“Legalmente, ela não pode exercer a medicina neste momento. Se quiser ficar no Brasil e ser médica, vamos ajudá-la no que ela precisar”, informou o presidente da AMB, Florentino Cardoso. De acordo com Cardoso, a médica cubana deve ocupar um cargo administrativo até que as inscrições para o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras (Revalida) sejam abertas.

Perguntado se a ampliação do valor pago aos profissionais cubanos seria uma solução, Cardoso respondeu que uma bolsa maior não resolveria a situação. “Defendemos que quem aqui vem trabalhar seja contratado de acordo com as nossas leis,”, disse ele. O presidente da AMB disse acreditar que "muitos outros farão algo parecido com o que Ramona teve coragem de fazer”.

Ramona começa a trabalhar na instituição amanhã (12), cumprindo jornada das 8h às 12h e das 14h às 18h.

Felpuda


Prefeitura de município do interior de MS recebeu recomendação do Ministério Público do Estado no sentido de exonerar servidores comissionados, livres do cartão de ponto, que são parentes de secretários da administração e de vereadores. O nepotismo se tornou um excelente “negócio” por lá, e se até o dia 6 de agosto as devidas providências não forem tomadas, medidas serão adotadas, como ação por improbidade administrativa. Tem gente que não aprende mesmo, né?