Sexta, 15 de Dezembro de 2017

NA SEGUNDA-FEIRA

CSI' tem episódio inspirado na tragédia da boate Kiss

26 JAN 2014Por g117h:26

O incêndio na boate Kiss, que matou 242 pessoas, inspirou um episódio da série CSI: Crime Scene Investigation, uma das mais populares séries policiais da atualidade. Sensibilizada com a tragédia, a escritora e produtora Liz Devine pesquisou elementos do ocorrido em Santa Maria para dar origem ao episódio "Torch Song", que faz parte da 14ª temporada.

O episódio será exibido pelo canal pago Sony na noite desta segunda-feira (27), data que marca um ano do incêndio na casa noturna. Na trama do programa, um incêndio atinge uma boate.

O fogo começa durante a apresentação de uma banda, assim como na Kiss. A equipe de investigação se desloca até o local para descobrir a causa das mortes.
"Isso foi inspirado no que aconteceu no Brasil", diz a escritora no vídeo que divulga o episódio no canal.

O incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, na Região Central do Rio Grande do Sul, ocorreu na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013. A tragédia matou 242 pessoas, sendo a maioria por asfixia, e deixou mais de 630 feridos.

O fogo teve início durante uma apresentação da banda Gurizada Fandangueira e se espalhou rapidamente pela casa noturna, localizada na Rua dos Andradas, 1.925.

O local tinha capacidade para 691 pessoas, mas a suspeita é que mais de 800 estivessem no interior do estabelecimento. Os principais fatores que contribuíram para a tragédia, segundo a polícia, são: o material empregado para isolamento acústico (espuma irregular), uso de sinalizador em ambiente fechado, saída única, indício de superlotação, falhas no extintor e exaustão de ar inadequada.

Ainda estão em andamento dois processos criminais contra oito réus, sendo quatro por homicídio doloso (quando há intenção de matar) e tentativa de homicídio, e os outros quatro por falso testemunho e fraude processual. Os trabalhos estão sendo conduzidos pelo juiz Ulysses Fonseca Louzada. Sete bombeiros também estão respondendo pelo incêndio na Justiça Militar. O número inicial era oito, mas um deles fez acordo e deixou de ser réu.

Leia Também