Segunda, 11 de Dezembro de 2017

RIO DE JANEIRO

Crise no ensino cria atritos entre MEC e reitores de federais

16 JAN 2014Por FOLHA PRESS17h:00

Diante do iminente fim das atividades acadêmicas das universidades Gama Filho e UniverCidade, o destino dos 9.500 alunos das duas instituições particulares do Rio permanece incerto.

O MEC (Ministério da Educação) ainda prepara um edital para definir a transferência dos estudantes para outras universidades privadas, que só deverá ficar pronto na próxima semana.

Anteontem, cerca de 700 alunos e funcionários das universidades fizeram um protesto no centro do Rio.

A discussão sobre o futuro dos estudantes também provocou um desgaste na relação entre o MEC e os reitores das universidades federais do Rio por causa da decisão deles de divulgar nota conjunta em favor da federalização das duas universidades.

"Federalização exige professor concursado e aluno selecionado pelo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), o que não é o caso. A posição dos cinco reitores está desconectada com a ordem jurídica vigente", disse à reportagem Jorge Messias, secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior do MEC.

Na nota, os reitores afirmavam que o governo federal tem "condições técnicas e políticas" para implementar sua sugestão.

Ontem, até o início da noite, apenas o reitor da Universidade Federal Fluminense, Roberto de Souza Salles, sustentou a posição defendida no texto.

"Com vontade política, é possível sim encontrar os instrumentos legais para federalizar", disse Salles.

Diretor do Cefet-RJ (Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca), Carlos Henrique Figueiredo Alves, disse à reportagem que a nota foi mal interpretada.

"A federalização em momento nenhum soluciona o problema em questão", disse Alves. "O MEC já está tomando as medidas cabíveis para acolher esses alunos em outras universidades."

Procurado pela reportagem, o reitor em exercício da UFRJ (Universidade Federal do Rio), Antônio José Ledo Alves da Cunha, preferiu não conceder entrevista. Em nota, ele afirmou que a "UFRJ está acompanhando o encaminhamento do MEC e tem interesse em participar do processo para evitar prejuízos à formação dos estudantes."

A assessoria do reitor da Unirio (Universidade Federal do Estado do Rio), Luiz Pedro San Gil Jutuca, informou que ele não poderia falar sobre o assunto por causa de compromissos em Brasília. A reitora da UFRRJ (Universidade Federal Rural do Rio) não foi localizada. 

Leia Também