Campo Grande - MS, sábado, 18 de agosto de 2018

SEGURANÇA

Criminalidade diminuiu cerca de 30% com policiamento comunitário

16 MAI 2011Por EVELIN ARAUJO10h:41

Técnicos da Polícia Comunitária japonesa iniciaram as atividades de troca de conhecimentos e técnicas de policiamento daquele país hoje em Mato Grosso do Sul. O sistema, que funciona em Campo Grande desde 2007, está instalado em seis bairros da Capital -  Los Angeles, Nova Lima, Coophasul, Aero Rancho, Coophavila e União e diminuiu em 30% os índices de roubos e furtos nas áreas de atuação, segundo o coordenador estadual de policiamento comunitário tenente-coronel da Polícia Militar Carlos Santana Carneiro. 

As atividades de hoje consistem na visita da técnica Akemi Shibuya nas bases comunitárias. Ela declarou que sempre ouviu falar nos problemas de segurança do Brasil e disse que, no Japão, as crianças podem andar tranquilamente à noite pelas ruas, graças ao sistema de policiamento comunitário. As bases de policiamento comunitário atendem a população de casa em casa e nas lojas da região de atendimento, ouvindo as necessidades de cada área e atuando conforme cada local. "Eu espero que isso possa acontecer aqui também um dia, com a troca de ideias e técnicas entre os países", disse Akemi Shibuya.

O coordenador nacional de policiamento comunitário Erisson Lemos Pita, Mato Grosso do Sul foi convidado no fim do ano passado para participar do programa, aumentando para 11 o número de Estados que têm essa ação do Programa Nacional de Segurança Pública com Codadania. "A troca é mútua, tanto que o Japão levou para aquele país a nossa experiência de base comunitária móvel. O Japão tem esse tipo de policiamento há 100 anos, mas não tinha bases móveis, só fixas", declara. 

Em agosto, o capitão Marco Antônio Ayres, do 9º BPM, irá até o Japão para fazer um curso de duas semanas na polícia do país. 

 

Leia Também