Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Crimeia diz que não negocia com 'ilegítimo' governo

9 MAR 14 - 13h:30Folha Press

A separatista república autônoma ucraniana da Crimeia anunciou hoje que negociará com Kiev sob a condição de haver mudança de poder na Ucrânia, pois não reconhece as novas autoridades, e ao mesmo tempo se prepara para um referendo sobre a reunificação com a Rússia.

`As autoridades atuais absolutamente não são legítimas. Enquanto não saírem não haverá diálogo algum, não só com as autoridades, mas com o país inteiro'', disse o presidente do parlamento da república autônoma, Vladimir Konstantinov, em entrevista divulgada por um canal de televisão local.

No mesmo dia, o primeiro-ministro ucraniano Arseni Yatseniuk, assegurou que o país não cederá `nem um centímetro de sua terra'' à Rússia, que realiza uma intervenção militar na península da Crimeia.

`Esta é nossa terra. Por esta terra deram seu sangue nossos pais e avôs. E não cederemos nem um centímetro da terra ucraniana'', disse Yatseniuk, ao discursar em um comício em Kiev perante a estátua do poeta e herói nacional ucraniano, Taras Sevchenko, no 200º aniversário de seu nascimento.

Para o representante da Crimeia, porém os governantes ucranianos `chegaram ali através de armas de fogo, facas e bastões'', em alusão aos violentos distúrbios que Kiev viveu e que deixaram uma centena de mortos.  

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

STJ autoriza acréscimo de sobrenome do cônjuge após casamento

Certidão de casamento poderá ser retificada pelo cartório de registro civil
FUTEBOL ESPANHOL

Barcelona perde do Granada por 2 a 0 e fica longe do líder Sevilla no Espanhol

Atlético de Madrid também já jogou na rodada
TWITTER

Haddad fala em impeachment de Witzel e o acusa de ser 'assassino'

Ex-prefeito afirmou que "coisas absurdas estão acontecendo"
GOVERNO

Major Olímpio diz que há estratégia no Congresso para desgastar presidente

Senador pediu ao "povo brasileiro" que exercesse pressão sobre o Congresso

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião