Crianças que receberam primeira dose da vacina contra gripe devem tomar reforço, diz especialista

Crianças que receberam primeira dose da vacina contra gripe devem tomar reforço, diz especialista
14/07/2012 12:33 - agência brasil


Crianças com idade entre 6 meses e 2 anos que foram imunizadas pela primeira vez este ano contra a gripe devem retornar aos postos de saúde para receber a segunda dose da vacina. O alerta é do pediatra e presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Renato Kfouri.

Em entrevista à Agência Brasil, ele explicou que o intervalo ideal entre a aplicação da primeira e da segunda dose é 30 dias, mas ressaltou que quem já completou 45 ou mesmo 60 dias ainda deve procurar receber o reforço.

“A segunda dose garante uma proteção adequada. Uma dose somente, aplicada nas crianças e quando se trata da primeira vez, não é suficiente para uma proteção adequada”, disse. “Estudos demonstram que uma dose somente confere uma proteção muito baixa. Não é o adequado”, reforçou.

O médico lembrou que a vacina contra a gripe é segura e não oferece nenhum risco à saúde das crianças, já que é produzida com o vírus inativo ou morto. Ele ressaltou que a gripe é uma doença que, anualmente, causa diversos problemas de saúde pública e que crianças muito novas e adultos mais velhos são os grupos que apresentam os maiores números de internações, complicações e mortes.

“Cerca de 10% das crianças são infectadas anualmente pelo vírus da influenza. Como ele muda muito, a cada ano, vem um novo vírus e uma epidemia nova. E as crianças infectadas, muitas vezes, são a porta de entrada para o vírus na família – ela se infecta na escola ou no berçário e transmite para o adulto ou para o idoso”, destacou.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".