Campo Grande - MS, segunda, 20 de agosto de 2018

Crianças com problemas emocionais podem desenvolver obesidade

25 MAI 2011Por oqueeutenho - Uol02h:30

Pesquisadores do Instituto de Psiquiatria do King’s College de Londres usaram dados coletados em 6.500 pessoas que participaram de outra pesquisa em 1970 e que, aos 10 anos de idade, haviam sido diagnosticadas com problemas emocionais diversos, percepções pessoais negativas e variações significantes no índice de massa corpórea.

Desse grupo inicial, foram escolhidos para a pesquisa aqueles que apresentaram novos problemas com o sobrepeso aos 30 anos. Os pesquisadores descobriram que crianças com baixa autoestima, as que afirmavam se sentir menos no controle da própria vida ou que se diziam muito preocupadas o tempo todo tinham mais propensão ao sobrepeso. Os dados mostraram também que as mulheres tinham mais tendências que os homens para desenvolver esse problema.

“Apesar de não poder afirmar categoricamente que os transtornos emocionais irão se traduzir em problemas com a obesidade, é possível dizer que isso faz parte do problema, que inclui outros fatores como, por exemplo, obesidade dos pais, tipo de dieta e rotina de exercício” diz Andrew Ternouth, um dos autores do estudo. Os pesquisadores sugerem intervenções assim que possível para crianças que sofrem com a baixa autoestima, ansiedade e outros tipos de transtornos emocionais a fim de melhorar a saúde mental dessas pessoas em longo prazo.

Leia Também