Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Criador do AK-47, Kalashnikov é enterrado com honras militares

Criador do AK-47, Kalashnikov é enterrado com honras militares
28/12/2013 03:00 - FOLHAPRESS


 O corpo do inventor do fuzil AK-47, Mikhail Kalashnikov, foi enterrado ontem com honras militares no memorial militar de Mytishchi, em Moscou. O presidente russo, Vladimir Putin, esteve na cerimônia, que terminou com uma salva de tiros de guardas de honra, que usaram a arma. Antes que fosse levado ao panteão, cerca de 60 mil pessoas lhe homenagearam na cidade de Izhevsk antes de seu corpo ser transportado para Moscou. Na capital russa, centenas de militares fizeram a guarda de honra aos restos mortais de Kalashnikov, cujo caixão foi coberto com a bandeira russa. Putin deixou um ramo de rosas vermelhas ao lado do caixão durante o velório. Além dele, compareceram o ministro da Defesa, Sergei Choigou, o chefe da administração presidencial, Sergei Ivanov, e outros oficiais do governo russo. 

Devido à criação do AK-47, Kalashnikov que não chegou a terminar o ensino médio, foi promovido honorificamente a coronel, em 1971. Em 1994, ao completar 75 anos, foi novamente promovido a major-general.  Recebeu ainda honrarias como o Prêmio Stálin, a Ordem de Lênin e da Estrela Vermelha e até a Ordem de Santo André, essa conferida já pela Federação Russa em 1998 e considerada o maior título honorário do país após o fim da União Soviética. As honrarias e as patentes militares lhe conferem uma cerimônia especial de sepultamento. Ele foi o segundo a ser enterrado no local, inaugurado no ano passado. O primeiro foi um soldado russo desconhecido que lutou na Segunda Guerra Mundial.
Estima-se que o fuzil, que desenhou em 1947, quando era oficial do Exército Vermelho e se recuperava de ferimentos sofridos durante a Segunda Guerra (1939-1945), vendeu 100 milhões de exemplares.

A arma logo se tornou o rifle de assalto padrão da infantaria soviética e, nos anos seguintes, passou a ser adotado por exércitos de mais de 80 países, por guerrilheiros radicais e até por terroristas como Osama bin Laden. Kalashnikov se aposentou em 2012 e foi várias vezes hospitalizado nos últimos meses por problemas cardíacos.
 

Felpuda


Paixão política que extrapola o bom senso, chega nas redes sociais e se transforma em baixaria pode resultar em prejuízo no bolso. Isso foi o que aconteceu com autor de texto nada elogioso contra colega por diferenças em apoio a candidatos nas eleições de 2016. O dito-cujo foi condenado a pagar indenização de R$ 7 mil, com correção monetária e juros mensais a partir da publicação da sentença, além dos honorários advocatícios. Detalhe: os adversários daquela época hoje andam de braços dados. Pode?