Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

CARTEIRA ASSINADA

Criação de empregos soma 246 mil no País

19 OUT 2010Por G112h:15

Comércio e indústria extrativa foram destaques na criação de vagas São Paulo liderou criação de empregos em setembro Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta terça-feira (19) pelo Ministério do Trabalho revelam que foram criados 246.875 mil empregos com carteira assinada no mês de setembro. O valor não é recorde histórico para meses de setembro, ao contrário do que havia previsto o ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

A série histórica do Caged tem início em 1992. Até o momento, o maior número de empregos formais criados em um mês de setembro foi em 2008, quando foram abertas 282,84 mil vagas. O número de empregos com carteira assinada ficou abaixo até mesmo do que setembro de 2009, quando foram criados 252 mil postos formais, e também do mesmo mês de 2007 (+251 mil vagas).

"Eu tinha feito uma previsão [de novo recorde em setembro]. Ficou dentro da margem [de erro]. Por causa de um efeito sazonal, Minas Gerais e São Paulo tiveram muita queda na contratação temporária, com o fim da safra do café. Outubro e novembro têm crescimento no emprego formal por causa do varejo, dos serviços e da hotelaria. Provavelmente, [estes meses] serão recordes [na geração de emprego formais]", disse o ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

O resultado do mês passado, deste modo, interrompe os recordes que foram retomados em agosto. Em junho e julho, o emprego formal não foi recorde no país. Entre janeiro e maio de 2010, porém, a criação de empregos formais havia sido a melhor, para estes meses, desde 1992.

No acumulado deste ano, porém, os números do Ministério do Trabalho mostram que foram abertas 2,2 milhões de vagas com carteira assinada. Este número representa recorde para os nove primeiros meses de um ano, de acordo com a série histórica do Caged. "Continuamos com o melhor ano da história", disse Lupi.

Para todo este ano, o ministro manteve a previsão de que serão criados 2,5 milhões de empregos com carteira assinada, o que, se confirmado, será o melhor ano da série histórica.

Leia Também