CASO CACHOEIRA

CPMI acompanhará investigações sobre morte de agente da PF

CPMI acompanhará investigações sobre morte de agente da PF
18/07/2012 13:52 - Agência Brasil


A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira vai acompanhar as investigações sobre a morte do policial federal Wilton Tapajós Macedo, assassinado ontem (17) no Cemitério Campo da Esperança, em Brasília. Hoje (18), o presidente da CPMI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), disse que designou policiais federais que estão a serviço da comissão para acompanhar o caso.

Vital do Rêgo não descartou a possibilidade de a morte do policial federal entrar na pauta de investigação da CPMI. “É um caso da polícia inicialmente, mas já acionei os policiais federais que estão à disposição da CPMI. Eles vão acompanhar os procedimentos de investigação e vão, diuturnamente, prestar esclarecimentos a esta presidência”, disse Vital.

Segundo ele, caso as investigações apontem que a morte tem ligação com o esquema montado pelo empresário goiano Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira – preso em Brasília –, a CPMI tomará as atitudes necessárias. “De acordo com o desenrolar dos fatos, esta presidência vai tomar as atitudes. Se houver ligação com o foco da CPMI, vamos tomar as atitudes necessárias.”

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".