Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

Cozinhando com o calor do Sol e outros meios econômicos

2 DEZ 2010Por Yoga Journal Brasil21h:58

Cozinhar no jardim não se resume a fazer um churrasco ou grelhar vegetais. O professor norte-americano Alan Morrison é adepto da técnica de cozinhar com a luz do sol. Ele utiliza a potência da energia solar há 20 anos. Antes de sair para o trabalho de manhã, Alan coloca ingredientes (geralmente combinações de grãos, feijões e vegetais) no forninho solar e coloca-o em um lugar onde o sol vai bater diretamente quando for meio-dia. À noitinha, ele volta para casa e encontra uma refeição pronta e quente em seu quintal.

Além de economizar energia e dinheiro, Morrison diz que esse método coloca-o em contato com a natureza. “É uma verdadeira ferramenta educacional para perceber o poder do sol além das suas queimaduras. É possível aprender o caminho do sol, como ele fica alto no céu, a duração dos dias e as mudanças das estações”, ele diz.

Os resultados podem ser deliciosos: os amigos do professor ainda se lembram com água na boca de um prato feito com cebolas caramelizadas, cozidas por horas sob o sol do verão, que foram servidas em um churrasco.

Morrison pertence a um grupo que está crescendo rapidamente – de cozinheiros que usam alternativas econômicas como fornos solares, panelas de pressão e grelhas para preparar suas comidas preferidas – e falamos de pratos maravilhosos como lasanhas, risotos e assados.

Solarize-se
A cozinha solar aproveita o calor do sol no preparo de refeições em fornos solares, feitos geralmente com caixas de papelão, alumínio e uma “tampa” de vidro (veja detalhes a seguir). Quando o sol atinge os refletores de papel alumínio, a luz reflete dentro da caixa, onde fica a panela com a comida. Assim que a comida começa a esquentar, a temperatura raramente ultrapassa os 120°, o que torna essa técnica ideal para vegetais ensopados. Não é aconselhável o preparo de carnes – com o tempo prolongado de cozimento, podem surgir micróbios nocivos à saúde.

Apenas uma advertência para candidatos a cozinheiros solares: o tempo de preparo, assim como a natureza, é imprevisível. Uma torta, por exemplo, que levaria uma hora para ficar pronta sob o sol direto, pode levar duas se algumas nuvens aparecerem no céu.

Na pressão
Mesmo usando o fogão você pode poupar a natureza. As panelas de pressão economizam energia porque reduzem em até 75% o tempo de cozimento. No verão o preparo fica ainda mais rápido, e, acredite ou não, essas panelas demandam menos energia do que um microondas para fazer uma polenta cremosa.

Na grelha
Como foi mostrado na última edição (confira em www.eyoga.com.br), o grelhado é uma ótima opção para vegetarianos, tanto quanto para os fãs do churrasco! Basta aprofundar-se nas experiências de manter o sabor de abobrinhas e berinjelas, sobretudo com o recurso dos marinados. “Nenhum outro método traz tanto o sabor da comida como o grelhado. É simples, ainda que aja como um catalisador de todos os tipos de sabores”, diz Steven Raichen, autor de The Barbecue Bible, How to Grill e BBQ USA (não lançados no Brasil). Os vegetais particularmente combinam com a grelha porque perdem água no processo e caramelizam seus açúcares naturais, resultando em sabores mais intensos. Mas não se atenha a vegetais. No Japão, por exemplo, é comum o tofu grelhado. No México, há quesadillas de queijo grelhadas. E aqui é possível ter o sabor das praias em casa grelhando o famoso queijinho coalho.
As grelhas podem ser movidas a gás, carvão ou lenha. O gás é pouco menos poluentes, já que partículas microscópicas de fuligem lançadas na atmosfera na queima do carvão ou da madeira podem ser problemáticas – “mas isso só se as condições do ar estiverem impróprias”, diz John Millett, da agência de proteção ambiental do programa do ar limpo dos EUA. “Caso contrário, é raro que cause um maior impacto na qualidade do ar”, completa.

A cozinha solar aproveita o calor do sol para fazer refeições deliciosas em um forno portátil que você pode construir sozinho

Uma das mais importantes qualidades de todas essas opções é que são divertidas! A panela de pressão oferece uma tensão dramática, a grelha te leva para o quintal para curtir a natureza e o forno solar – bem, é incrivelmente interessante acompanhar o processo de uma refeição cozida pelo sol.

Victoria Abbott Riccardi escreve para Saveur e Vegetarian Times.

 

 


 

Leia Também