Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

pôlemica

Corregedoria da Câmara recebe 5 representações contra Bolsonaro

31 MAR 11 - 22h:20terra

A Corregedoria da Câmara dos Deputados informou no início da noite desta quinta-feira que recebeu cinco representações contra o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ). As ações pedem para que seja apurada uma possível quebra de decoro parlamentar por parte do deputado, que deu declarações consideradas preconceituosas contra negros e homossexuais durante o programa CQC, da TV Bandeirantes, na noite da última segunda-feira.

Três ações foram enviadas por deputados federais do PT, Edson Santos e Alessandro Molon, ambos do Rio de Janeiro, e Luiz Alberto, da Bahia. As outras duas representações são da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados e da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir).

As cinco ações foram apresentadas com o pedido de anexação, ou seja, serão apreciadas como uma única representação. O corregedor, deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), deverá analisar os pedidos, e, caso seu parecer seja positivo para a abertura das investigações, Bolsonaro será notificado e terá cinco dias para apresentar sua defesa.

O corregedor deverá encaminhar um relatório para a Mesa Diretora, que decidirá se o processo será levado ou não para o Conselho de Ética.

Polêmica
Durante o programa CQC, da TV Bandeirantes, em resposta à cantora Preta Gil, que perguntou ao deputado o que ele faria se seu filho se apaixonasse por uma mulher negra, Jair Bolsonaro respondeu: "Não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Não corro esse risco porque os meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como, lamentavelmente, é o teu". O deputado afirmou em nota divulgada na terça-feira que entendeu errado a pergunta e achou que a artista se referia a uma relação homossexual.

Na quarta-feira, a polêmica aumentou quando Bolsonaro afirmou estar "se lixando" para o movimento gay. A declaração foi dada no Palácio do Planalto quando o deputado chegava ao velório do ex-vice-presidente da República José Alencar.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Governo revoga portaria que suspendia avaliação de alfabetização
POLÊMICA

Governo revoga portaria que suspendia avaliação de alfabetização

ATA DO COPOM

Economia segue operando
com alto nível de ociosidade

Na semana passada, o Copom manteve a Selic em 6,50% ao ano
COSIP

Vereadores querem criar CPI sobre custeio da iluminação pública

Relatório apontou várias irregularidades em relação a esta cobrança
Prefeitura abre concursos <br> com salários de até R$ 10 mil
30 VAGAS

Prefeitura abre concursos com salários de até R$ 10 mil

Mais Lidas