TRÊS LAGOAS

Corpos das vítimas de acidente com aeronave não estavam carbonizados

Corpos das vítimas de acidente com aeronave não estavam carbonizados
26/08/2012 07:55 - Perfil news


Os corpos de Orestes Prata Tibery Júnior, Ellen Martins Prata Tibery e Teodoro Janjão que morreram em um acidente aéreo na manhã de ontem (25) não estavam carbonizados. Segundo Nilson Martins, delegado titular da Polícia Civil de Água Clara, o avião não chegou explodir, mas se despedaçou por completo na queda. Ele disse também que os corpos foram encontrados distantes um do outro e estavam muitos machucados.

Comoção

As vítimas foram reconhecidas por amigos e familiares que viajaram até o local da queda. Os filhos de Orestinho, como era conhecido, fizerem o reconhecimento dos corpos.

Funcionários da Fazenda Serena disseram aos policiais que o avião foi perdendo altitude muito rapidamente e quando atingiu o solo abriu uma cratera, destruindo a aeronave. Segundo consta, faltavam apenas dez minutos de voo para chegarem à fazenda Vista Alegre, de propriedade de Orestinho.

Equipe da Perícia Técnica de Três Lagoas e a Polícia Civil e Militar de Água Clara chegaram ao local da queda por voltas das 11h. Eles encontraram uma bolsa com os pertences do piloto, Teodoro Janjão, e algumas caixas de remédio. Segundo informou o delegado, o piloto aparentava ter aproximadamente 70 anos.

Corpos
Os corpos de Orestinho e Ellen foram levados para Água Clara e são velados na Câmara Municipal de Três Lagoas. O sepultamento vai ocorrer por volta das 15h de hoje (26), no cemitério municipal da cidade.

Já o corpo do piloto Janjão seguiu para a cidade de Nova Odessa, no estado de São Paulo.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".