CAMPEONATO BRASILEIRO

Coritiba empata com Palmeiras e sai da degola

Coritiba empata com Palmeiras e sai da degola
19/07/2012 22:05 - terra


No reencontro entre os dois finalistas da Copa do Brasil, empate com somente um time beneficiado. Na noite desta quinta-feira, o Coritiba conseguiu buscar uma igualdade por 1 a 1 contra o Palmeiras, em confronto realizado no Estádio Couto Pereira, e deixar a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro ao final da 10ª rodada. O time paulista, que não contou com Luiz Felipe Scolari no banco de reservas (suspenso), segue na zona mais incômoda da tabela de classificação.

O resultado desta noite de quinta-feira beneficiou somente o Coritiba. A equipe mandante, embora tenha completado sem vencer cinco jogos sem vitória na Série A, chegou aos oito pontos e deixou a zona de rebaixamento por conta dos critérios de desempate. O Palmeiras, por outro lado, segue entre os últimos, com somente sete pontos conquistados na competição.

Depois do reencontro desta quinta-feira, que manteve as duas equipes entre as piores do Campeonato Brasileiro. Coritiba e Palmeiras voltam a campo no próximo domingo. A partir das 16h (de Brasília), a equipe palestrina, já com Felipão no banco de reservas, receberá na Arena Barueri o Náutico. Por outro lado, os paranaenses, às 18h30, encaram o Bahia, fora de casa, no Estádio Pituaçu.

Desfalcado de 11 jogadores para o compromisso desta quinta-feira, o Palmeiras procurou neutralizar o Coritiba nos primeiros minutos. Entretanto, organizado em campo, o time alviverde aproveitou uma jogada bem trabalhada para abrir o marcador. Logo aos 5min, Mazinho cruzou para Betinho, que apenas escorou na direção de Patrik. O meia-atacante chutou firme e abriu o marcador para os visitantes.

O gol marcado logo no início permitiu ao Palmeiras trabalhar de maneira cautelosa no restante da etapa inicial. Melhor para o Coritiba, que cresceu e passou a pressionar a defesa rival. A principal chance dos mandantes ocorreu aos 42min. Após cruzamento para a área, Everton Costa desviou de cabeça no contrapé de Bruno. O goleiro palmeirense, contudo, tirou com os pés o tento do time coxa-branca.

A pressão coritibana aumentou de intensidade na segunda etapa. As entradas de Lincoln e Anderson Aquino nas vagas de Willian Farias e Lucas Mendes tornaram a equipe mandante mais ofensiva, postura que retraiu ainda mais o Palmeiras dentro de campo.

O castigo para os palmeirenses veio aos 22min. O jovem Thiago Primão, de apenas 19 anos, cruzou para Anderson Aquino desviar de cabeça para as redes. Bruno nada pôde fazer. Tento que ¿acordou¿ a equipe de Murtosa, que, na busca pelos três pontos, promoveu a reestreia de Obina, atacante registrado na CBF somente na última terça-feira. O centroavante, ainda fora de ritmo em relação aos companheiros, forçou a expulsão do zagueiro Pereira, nos acréscimos.

FICHA TÉCNICA

CORITIBA 1 x 1 PALMEIRAS

Gols:

CORITIBA: Anderson Aquino, aos 22min do 2º tempo

PALMEIRAS: Patrik, aos 5min do 1º tempo

CORITIBA: Vanderlei; Ayrton, Émerson, Pereira e Lucas Mendes (Anderson Aquino); Willian Farias (Lincoln), Junior Urso, Rafinha e Everton Ribeiro; Robinho e Everton Costa (Thiago Primão).
Técnico: Marcelo Oliveira.

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Wellington, Leandro Amaro e Juninho; Márcio Araújo, Fernandinho, Patrik e Daniel Carvalho (Felipe); Mazinho (João Denoni) e Betinho (Obina).
Técnico: Flávio Murtosa (interino)

Cartões Amarelos
CORITIBA: Lucas Mendes, Everton Ribeiro, Pereira e Lincoln
PALMEIRAS: Wellington, Juninho e Mazinho

Cartões Vermelhos
CORITIBA: Pereira

Árbitro
Ricardo Marques Ribeiro (MG)

Local
Estádio Couto Pereira, em Curitiba (PR)

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".