Campo Grande - MS, domingo, 19 de agosto de 2018

Campeonato Paulista

Corinthians vence o Palmeiras e enfrenta Santos na final

1 MAI 2011Por uol17h:14

Um clássico com todos os ingredientes e polêmicas colocou o Corinthians na final do Campeonato Paulista. Mesmo com um jogador a menos desde os 22min do primeiro tempo, o time alviverde foi heroico e jogou no embalo da torcida durante o empate por 1 a 1 no tempo normal. Saiu na frente, gol de Leandro Amaro, e sofreu o empate, com Willian. Nos pênaltis, Júlio César brilhou e defendeu a sexta cobrança para garantir o triunfo por 6 a 5.

Assim, a equipe de Parque São Jorge supera o trauma de 1999 e 2000, quando os palmeirenses por duas vezes eliminaram os corintianos nos pênaltis pela Copa Libertadores.

Aconteceu de tudo em campo. O Palmeiras foi mais time, porém acabou prejudicado pelo nervosismo. Tudo começou quando Danilo levou o vermelho depois de uma entrada dura em Liedson.  O técnico Luiz Felipe Scolari também foi expulso, por reclamação, e ainda bateu boca com Tite, para piorar mais ainda o ambiente.

Valdivia e Cicinho se machucaram ainda na etapa inicial e intensificaram o drama dos donos da casa no Pacaembu.

O Palmeiras mostrou ser mais time logo nos 15 minutos iniciais. Valdivia chutou a gol três vezes e levou perigo em duas oportunidades. Júlio César conseguiu espalmar e evitar o gol.

A equipe alviverde dominava as ações ofensivas, até Danilo receber o vermelho. Coincidentemente, Valdivia havia acabado de pedir para ser substituído. O meia chileno se machucou ao tenta dar o famoso chute no vácuo. Felipão foi obrigado a sacá-lo para a entrada do zagueiro Leandro Amaro.

Aos 28min, o comandante palmeirense acabou expulso por reclamação. Ele ainda ouviu uma bronca de Tite: "Toda hora é você. Só fala, só fala.”

Felipão demorou para deixar o campo, e o policiamento teve de ser acionado para escolta-lo.

As baixas do arquirrival fizeram com que o Corinthians crescesse no jogo. Antes um mero espectador em campo, Deola passou a ter trabalho e se saiu bem quando foi exigido.

Na saída para o intervalo, os palmeirenses demonstraram indignação com a arbitragem. “É ridículo. Só isso, ridículo”, esbravejou Kléber.

“É desnecessária essa pressão, até porque a arbitragem está fazendo um bom trabalho”, rebateu do outro lado o lateral Fábio Santos.

Mesmo com um atleta a menos, a equipe de Palestra Itália voltou melhor para a etapa final e abriu o placar com Leandro Amaro, de cabeça.

Tite então passou a mexer no time alvinegro. Sacou Alessandro e Dentinho para as entradas de Ramirez e Willian. Assim como no fim de semana passado, Willian virou o herói corintiano ao balançar a rede, desta vez de cabeça.

Nas penalidades, quem brilhou foi Júlio César.

Leia Também