CAMPEONATO BRASILEIRO

Corinthians vence<br> o Cruzeiro<br> e mantém reação

Corinthians vence<br> o Cruzeiro<br> e mantém reação
25/07/2012 22:55 - terra


Os mais de 30 torcedores que compareceram ao Estádio do Pacaembu na noite desta quarta-feira não se decepcionaram. O Corinthians derrotou o Cruzeiro por 2 a 0, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, e chegou ao quarto jogo de invencibilidade. Chicão, em cobrança de pênalti, e Paulinho marcaram os gols do triunfo corintiano.

O gol na capital paulista aconteceu aos 22min do primeiro tempo. Sandro Silva perdeu a bola dentro da área, derrubou Jorge Henrique dentro da área e o árbitro Leandro Vuaden marcou pênalti. Chicão bateu bem, tirou o goleiro Fábio, converteu a infração. Aos 47min, o aniversariante Paulinho marcou um gloaço e completou a vitória.

Com a vitória, a equipe paulista sobe na classificação e assume a 10ª colocação com 15 pontos. Porém, o Flamengo joga nesta quinta-feira contra a Portuguesa e pode recuperar a posição. O próximo adversário do Corinthians no Campeonato Brasileiro será o Bahia, domingo, às 16h (de Brasília), no Pituaçu, em Salvador.

A derrota impede o Cruzeiro de entrar no G-4 da Série A. O time soma 20 pontos e ocupa a sexta colocação. Depois de enfrentar o Corinthians, o Cruzeiro terá pela frente outro adversário paulista na próxima rodada. No domingo, a equipe do técnico Celso Roth recebeu o Palmeiras, às 18h30 (de Brasília), no Independência.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".