Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ESPORTES

Corinthians e Santos terão desfalques para o clássico de domingo

Corinthians e Santos terão desfalques para o clássico de domingo
26/02/2010 06:50 -


O clássico Corinthians x Santos, marcado para o próximo domingo às 17h na Vila Belmiro pelo Campeonato Paulista começou a ser esvaziado ontem após as rodadas do meio da semana pelas copas do Brasil e Libertadores da América. O Peixe estará desfalcado de sua principal estrela para esta temporada, o atacante Robinho, e o Timão, poderá dar um descanso ao lateral direito Alessandro e ao atacante Jorge Henrique. Logo após a vitória por 1 a 0 sobre o Naviraiense na noite de quarta-feira, em Campo Grande, o Rei das Pedaladas revelou: “Apresento-me à seleção brasileira no sábado”, garantiu o atacante, visando o amistoso do próximo dia 2 de março contra a Irlanda, em Londres, na Inglaterra. O treinador do Santos, Dorival Júnior, entretanto, não se conforma com determinação da Confederação Brasileira de Futebol. “Faço um apelo para que exista bom senso por parte da seleção, pois não haverá uma interferência direta se ele não embarcar no sábado”, alfinetou. Quem gostou da notícia foi o atacante Ronaldo, do Corinthians, que falou por telefone ontem à tarde com o camisa 7 santista. O corintiano Elias deu os detalhes da conversa: “o Ronaldo já conversou com ele [Robinho], e avisou que é melhor ele ir para a seleção”, ironizou. Corinthians A difícil vitória corintiana por 2 a 1 sobre o Racing do Uruguai na noite de quarta pela Libertadores poderá resultar em pelo menos dois desfalques para o clássico. Alessandro e Jorge Henrique são os favoritos do treinador do Timão, Mano Menezes, para ganhar um descanso no final de semana. “Precisamos levar em conta que foi cansativo transpor a defesa do Rancing”, admitiu Mano. Mesmo com as baixas, o clássico deverá ter nomes consagrados como Ronaldo e Roberto Carlos, do Corinthians; e os badalados Neymar e Paulo Henrique Ganso, do Santos.

Felpuda


Paixão política que extrapola o bom senso, chega nas redes sociais e se transforma em baixaria pode resultar em prejuízo no bolso. Isso foi o que aconteceu com autor de texto nada elogioso contra colega por diferenças em apoio a candidatos nas eleições de 2016. O dito-cujo foi condenado a pagar indenização de R$ 7 mil, com correção monetária e juros mensais a partir da publicação da sentença, além dos honorários advocatícios. Detalhe: os adversários daquela época hoje andam de braços dados. Pode?