Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

COPA

Corinthians descarta utilização de seu estádio

Corinthians descarta utilização de seu estádio
16/04/2011 00:00 - ESTADÃO


 Há um mês, a promessa era de que as obras do Itaquerão, o novo estádio do Corinthians, começariam no início de abril. Ontem, o diretor de marketing corintiano, Luis Paulo Rosenberg, deu um novo prazo para o começo dos trabalhos: maio.

Em meio às especulações a respeito da dificuldade de encontrar financiamento para a obra, Rosenberg fez questão de tentar aliviar a pressão. "Eu entendo por que dizem que não vai sair. Na história, quantas vezes foram anunciados estádios do Corinthians? Mas se você tem terreno, autorização da prefeitura e fundos, por que não fazer o estádio? Eu aposto com quem está dizendo que não vai acontecer. Não tem como o estádio não sair", garantiu o dirigente.

Como as obras do futuro estádio corintiano ainda não começaram, não há mais a possibilidade de ele ficar pronto para a Copa das Confederações de 2013. A previsão é que apenas em dezembro daquele ano o Itaquerão possa ser inaugurado. Essa demora representa também que a obra ficará mais cara. 

"O projeto Fifa é muito peculiar, porque é um projeto vivo, em que as exigências vão aparecendo e as mudanças tem de ser feitas. Isso vai encarecendo a obra, vai adiando e nos impede de passar à fase seguinte", justificou Rosenberg.

Apesar dos aparentes problemas com a obra, o dirigente garante que a Fifa está feliz com o projeto. "Tivemos uma reunião na sexta-feira passada e chegamos a um resultado bastante atraente, que fez inclusive o Blatter se manifestar mais satisfatoriamente. Estamos completamente dentro do planejado. Estudamos bastante para realizar esta obra da melhor maneira possível e poder compensar à cidade e a sociedade pela construção do estádio", garantiu Luis Paulo.

Felpuda


Em uma das eleições em MS, candidato já oficializado na convenção corria o trecho para conquistar os eleitores. Mal sabia, porém, que time do seu partido e de aliados estava tramando sua derrubada para emplacar substituto que teria mais votos. Por muito pouco, o dito-cujo não foi guilhotinado, conseguindo salvar o pescoço. Agora tudo indica que o mesmo processo estaria em andamento e seria mais fácil, pois a “vítima” desta vez ainda é só pré-candidato. Dizem que a “turma da trairagem” tem know-now no assunto.